Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.081,99
    -3.865,27 (-7,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Pandemia está fora de controle na Alemanha; entenda o que aconteceu

·2 min de leitura

A situação da covid-19 não está fácil na Alemanha. Enquanto os números apontam uma tendência otimista, o país chegou a bater o próprio recorde de novos casos de covid-19 ao ultrapassar a marca dos 50 mil na última quarta (10). Com quase 250 infecções por 100 mil habitantes, a Alemanha vive atualmente um cenário muito pior do que a França (94) ou a Itália (73), por exemplo.

Quarta onda

Nesta sexta (12), o ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, anunciou que o país deve fazer "todo o necessário" para conter a quarta onda de covid-19. "A situação é séria e recomendo que todos a considerem assim", anunciou. Ele e o chefe do Instituto de vigilância sanitária Robert Koch (RKI), Lothar Wieler, alertaram que os leitos de UTI já enfrentam superlotação. Os estados da Saxônia, Turíngia e Baviera são atualmente os mais afetados pela quarta onda de infecções.

Christian Drosten, um dos virologistas mais renomados da Alemanha, chegou a fazer uma estimativa de que cerca de 100 mil pessoas podem morrer no país se não forem tomadas medidas para impedir a quarta onda. Ele descreveu a situação como uma verdadeira emergência.

(Imagem: fernando zhiminaicela/Pixabay)
(Imagem: fernando zhiminaicela/Pixabay)

Pouca vacinação

Olaf Scholz, atual vice-chanceler, afirmou na quinta-feira (11) que o país precisa aplicar maiores restrições para conter o aumento dos casos. "Mesmo que a situação seja diferente do inverno passado, porque muitas pessoas foram vacinadas, ainda não é boa, especialmente porque até agora bastante gente optou por não se vacinar", apontou.

De acordo com o Our World in Data, da Universidade de Oxford, a taxa de vacinação na Alemanha está relativamente baixa: apenas 67% da população tomou as duas doses. É pouco, diante de outros países europeus, como Portugal (88%), Espanha (80%), Irlanda (75%), Bélgica (74%) e Itália (72%). E a grande questão é que a pouca vacinação se deve à rejeição por parte do público, e não por falta de doses. Quase 18 milhões de alemães com 12 anos ou mais ainda não foram totalmente vacinados, de acordo com o ministério da saúde local.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos