Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.528,97
    +456,35 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,04
    -0,63 (-1,01%)
     
  • OURO

    1.778,40
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    55.385,85
    +221,95 (+0,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.266,81
    +32,40 (+2,62%)
     
  • S&P500

    4.134,94
    -28,32 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    33.821,30
    -256,33 (-0,75%)
     
  • FTSE

    6.869,09
    +9,22 (+0,13%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.768,50
    -25,75 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6757
    -0,0268 (-0,40%)
     

Pandemia derruba confiança ao menor nível desde maio de 2020

Leonardo Lara
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) caiu 9,8 pontos em março, para 68,2 pontos, ao menor nível desde maio de 2020, em meio à piora da pandemia de coronavírus, segundo relatório da FGV.

Em março, houve piora tanto da percepção dos consumidores em relação ao momento presente quanto das expectativas para os próximos meses, diz a FGV.

O indicador que mede a percepção dos consumidores em relação à situação econômica geral diminuiu em março para o menor nível da série histórica iniciada em setembro de 2005.

Houve piora da confiança em todas as faixas de renda, com maior intensidade nas famílias de renda mais baixa, diz a FGV.

“A forte queda da confiança dos consumidores é resultado do recrudescimento da pandemia de Covid-19 em todo o país e do colapso do sistema de saúde em várias cidades”, diz Viviane Seda Bittencourt, Coordenadora das Sondagens da FGV, no relatório.

Além disso, a campanha de vacinação no país segue lenta, enquanto o número de hospitalizações e mortes avança, o que leva estados e municípios a adotar novas medidas de restrição, aponta a FGV.

“Os consumidores percebem a piora da situação econômica atual com sérios riscos ao emprego e à renda e são também afetados psicologicamente pelo medo de contrair a doença e pela necessidade de isolamento social”, afirma Viviane.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.