Mercado abrirá em 2 h 45 min
  • BOVESPA

    123.576,56
    +1.060,82 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.633,91
    +764,43 (+1,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,27
    -0,29 (-0,41%)
     
  • OURO

    1.816,40
    +2,30 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    37.793,62
    -795,23 (-2,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    923,55
    -19,90 (-2,11%)
     
  • S&P500

    4.423,15
    +35,99 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    35.116,40
    +278,24 (+0,80%)
     
  • FTSE

    7.133,75
    +28,03 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    26.426,55
    +231,73 (+0,88%)
     
  • NIKKEI

    27.584,08
    -57,75 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    15.051,50
    +5,25 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1626
    -0,0029 (-0,05%)
     

Pandemia da covid-19 terá impacto de longo prazo na saúde mental

·2 minuto de leitura
Dezenas de pessoas fazem fila em frente a um centro de vacinação contra coronavírus, na estação ferroviária de Bang Sue, em 22 jul. 2021, em Bangcoc, capital tailandesa

A pandemia de coronavírus terá um impacto de "longo prazo" na saúde mental das populações - advertiram a Organização Mundial da Saúde (OMS) e os ministros europeus da Saúde europeus nesta quinta-feira (22), por ocasião de uma reunião de dois dias em Atenas.

"Da ansiedade com a transmissão do vírus, o impacto psicológico dos confinamentos e do autoisolamento, as consequências ligadas ao desemprego, as dificuldades financeiras, à exclusão social: (...) todo mundo se vê afetado de uma maneira, ou de outra", afirmam os ministros e a OMS em um comunicado.

A pandemia terá um "impacto de longo prazo e de grande alcance", alertam.

"Estamos falando de um componente-chave da nossa saúde, que requer ação agora" dos governos, convocou o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, na abertura de um fórum de dois dias, em Atenas, sobre o impacto da pandemia da covid-19.

"Precisamos falar abertamente sobre o estigma que acompanha a saúde mental", acrescentou.

Para o vice-presidente da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, "a pandemia da covid-19 exacerbou o enorme desafio da saúde mental (...) Não há desculpa para adiar (esse debate)".

A OMS considera que "não é apenas o contágio, ou o medo de contágio, que tem afetado a saúde mental da população".

"O estresse causado pelas desigualdades socioeconômicas e os efeitos da quarentena, do confinamento, do fechamento de escolas e dos locais de trabalho tiveram consequências enormes", destacam os ministros e a OMS, em seu comunicado conjunto.

"A pandemia abalou o mundo. Mais de 4 milhões de vidas foram perdidas em todo planeta, rendas foram destruídas, famílias e comunidades se separaram, empresas quebraram", lembra o diretor da OMS na Europa, doutor Hans Kluge.

"A saúde mental e o bem-estar devem ser percebidos como direitos humanos fundamentais", continua, pedindo aos Estados que reconsiderem o acesso à atenção em saúde.

Entre as recomendações da OMS para os países europeus, estão o fortalecimento dos serviços de saúde mental em geral, a melhora do acesso à atenção por meio da tecnologia digital, o aumento dos serviços de apoio psicológico nas escolas, universidades, no local de trabalho e para as pessoas que trabalham na linha de frente na luta contra a covid-19.

mr-nks/chv/mab/zm/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos