Mercado fechará em 6 h 41 min

Pandemia causa queda “sem precedentes” no comércio global em abril

Valor

Segundo Centro de Análise Econômica da Holanda, volume de importações e exportações recuou 12,1%, maior retração já registrada O comércio global experimentou uma queda sem precedentes em abril, quando grande parte das principais economias convivia com restrições para combater a pandemia de covid-19, segundo dados divulgados nesta quinta-feira.

O volume global de importações e exportações caiu 12,1% em abril na comparação com o mês anterior, de acordo com o Centro de Análise Econômica da Holanda (CBP, na sigla em inglês). Esta foi a maior queda desde 2000, quando os registros começaram a ser feitos.

Em março, quando o mundo começou a sentir os efeitos econômicos da pandemia, o comércio global recuou 2,4% em relação a fevereiro, segundo o CPB. Na comparação com o mesmo período do ano passado, porém, a queda foi de 16,2%.

Todas as regiões registraram quedas no comércio, mas a zona do euro foi a mais atingida em abril, com um recuo de 20,1%. Em relação a 2019, as exportações e importações no bloco caíram 28,5%.

Nos EUA, a queda foi de 16,8% em abril, enquanto na Ásia emergente, área que inclui China e Índia, o recuo foi mais suave, de 6%. As exportações chinesas despencaram no mês, de acordo com o CPB, após terem uma leve alta em março, quando o país conseguiu controlar a pandemia.

No início desta semana, a Organização Mundial do Comércio (OMC) previu que as exportações e importações globais no segundo trimestre encolherão 18,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Ontem, o Fundo Monetário Internacional (FMI), ao divulgar seu novo relatório sobre o Panorama Econômico Mundial, disse prever que o comércio feche 2020 com uma queda de 12%. A entidade pediu que os países cooperem para resolver tensões que podem ameaçar a recuperação da economia.

Secretaria de Logística e Transportes de São Paulo