Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.057,00
    +8,71 (+0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

Palmeiras e São Paulo se consolidam na Série A. Santos impressiona

Alexandre Praetzel
·2 minuto de leitura
São Paulo se consolida na Série A com Fernando Diniz. Foto: Thiago Ribeiro/AGIF
São Paulo se consolida na Série A com Fernando Diniz. Foto: Thiago Ribeiro/AGIF

A segunda rodada do segundo turno da Série A do Brasileiro mostrou a consolidação de São Paulo e Palmeiras, a campanha surpreendente do Santos, o crescimento do Grêmio, declínio do Inter, Galo avançando e Flamengo em debate.

O blog fez um balanço e uma avaliação do momento das equipes no principal campeonato do país.

São Paulo - líder por aproveitamento com dois jogos a menos que o Galo. A espinha dorsal de Fernando Diniz vem mantendo o time com bons números e resultados positivos. O confronto com o Flamengo na Copa do Brasil pode afirmar a equipe, definitivamente;

Atlético-MG - líder por pontos em 20 jogos. Entre vitórias e alguns tropeços inesperados, o Galo se reforçou ainda mais e pode levar vantagem com um calendário mais leve. Se Sampaoli conseguir equilibrar o setor defensivo, pode disparar na classificação;

Palmeiras - a chegada de Abel Ferreira fortaleceu o bom legado do interino Andrey Lopes. O português manteve o nível, mesmo cheio de desfalques, e alçou o Palmeiras ao topo de cima da tabela. O elenco apenas confirmou que está entre os melhores do país, sendo bem aproveitado por um treinador;

Flamengo - a chegada de Rogério Ceni gerou comoção, mas o efeito não foi imediato, como muitos esperavam. A derrota para o São Paulo e o empate contra o Atlético-GO deixaram o rubro-negro em debate nas questões físicas e técnicas do time. Ainda assim, tem condições de ganhar os três torneios, se conseguir se remobilizar;

Inter - a saída de Coudet deixou o time anestesiado, como se esperava. O modo de jogar no limite foi perdido e Abel Braga já alterou a formação. A frase de Abel de que não sabia os nomes de alguns jogadores apenas confirmou que a fraca e perdedora diretoria do Inter pensou na história e no currículo para contratá-lo. Pouco, muito pouco. A tendência é de queda na Copa do Brasil e Libertadores e declínio no Brasileiro;

Santos - a grande surpresa pós-pandemia. O esforço e união do elenco encantam e impressionam pelo profissionalismo e comprometimento, com uma gestão falimentar. A vitória sobre o Inter foi espetacular com vários nomes que nunca haviam atuado, numa semana difícil com surto de Covid. O Santos não deve conquistar nenhum título, provavelmente, mas o desempenho é comovente e merece muitos elogios e respeito dos adversários;

Grêmio - apesar da marra de Renato, o tricolor empilhou sete vitórias consecutivas. Jean Pyerre voltou aos titulares e é o maestro do time. Churín entrou com naturalidade na equipe e Pinares ainda nem estreou. O elenco é forte com qualidade e experiência. Se houver foco, é candidato sempre.