Mercado fechará em 2 h 51 min
  • BOVESPA

    122.183,90
    +382,69 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,02
    +111,59 (+0,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,96
    +0,81 (+1,19%)
     
  • OURO

    1.809,20
    -5,30 (-0,29%)
     
  • BTC-USD

    39.703,09
    +299,68 (+0,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    984,89
    +8,99 (+0,92%)
     
  • S&P500

    4.416,81
    +14,15 (+0,32%)
     
  • DOW JONES

    34.958,13
    +165,46 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.120,43
    -3,43 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.140,00
    +66,50 (+0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1578
    +0,0395 (+0,65%)
     

Painel da Opep+ vê risco de excesso de oferta de petróleo após abril de 2022

·1 minuto de leitura

DUBAI (Reuters) - Um painel da Opep+ alertou para "incertezas significativas" e o risco de um excesso de oferta de petróleo após abril de 2022, de acordo com um relatório interno, que constrói argumentos para que o atual acordo do grupo para restrições de produção seja estendido.

O painel, conhecido como Comitê Técnico Conjunto, vê um excesso de petróleo ao final de 2022 em diferentes cenários, quando analisadas oferta e demanda no mercado da commodity, afirmou o relatório.

O documento mostrou que, embora o mercado do petróleo tenha um déficit no curto prazo, haveria um excesso de oferta no horizonte após a Opep e seus aliados, que formam o grupo conhecido como Opep+, desfazerem cortes de bombeamento, que hoje figuram em pouco menos de 6 milhões de barris por dia (bpd).

Sob um cenário-base, os estoques nas economias industrializadas da OCDE ficariam 96 milhões de barris abaixo da média apurada entre 2015 e 2019 no terceiro trimestre deste ano, e 125 milhões de barris abaixo dessa média no quarto trimestre, disse o relatório.

"Em 2022, um aumento significativo é visto, levando a um excesso de 181 milhões de barris até o final do ano", acrescentou.

O painel disse que ainda projeta um crescimento de 6 milhões de bpd na demanda global por petróleo em 2021, mas que há riscos negativos para preços.

Segundo o relatório, a demanda também pode desacelerar devido às "incertezas associadas ao ritmo divergente da recuperação econômica global, às pressões inflacionárias emergentes, ao aumento da dívida soberana, ao fornecimento desigual de vacinas..., bem como à disseminação ampla da variante Delta da Covid-19."

(Reportagem de Rania El Gamal e Ahmad Ghaddar)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos