Mercado abrirá em 3 h 41 min

Painel da Opep+ não faz recomendações sobre cortes de oferta, dizem fontes

.

DUBAI (Reuters) - Especialistas técnicos da Opep+ não fizeram recomendações sobre uma nova extensão aos cortes recordes de produção de petróleo em um painel nesta quarta-feira, decidindo focar na adesão de países que se atrasaram para cumprir o pacto do grupo, disseram fontes da Opep+.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, que formam o grupo conhecido como Opep+, possuem acordo para cortes recordes de bombeamento em vigor desde 1º de maio, elaborado para dar apoio aos preços da commodity e à demanda, fortemente afetada pela crise do coronavírus.

O grupo promoverá uma reunião ministerial na quinta-feira. Os encontros desta semana são parte de um esforço da Opep+ para revisar o impacto da redução de produção e ouvir as propostas de países que ainda não entregaram totalmente suas parcelas nos cortes, como o Iraque, sobre como pretendem cumprir o acordo.

"Está caminhando bem", disse uma fonte sobre a reunião desta quarta-feira, que está sendo realizada de maneira virtual.

Iraque e Cazaquistão devem apresentar seus planos para cortes de oferta e de compensação pelo excesso de produção em um painel do comitê ministerial da Opep+, conhecido como JMMC, na quinta-feira, segundo uma das fontes.

A adesão aos cortes de produção da Opep+ em maio foi de 87%, afirmaram duas fontes nesta quarta-feira.

O pacto de oferta da Opep+ envolvia uma redução de bombeamento de 9,7 milhões de barris por dia em maio e junho. No dia 6 de junho, o grupo concordou em prorrogá-lo por mais um mês, uma decisão que a Opep disse nesta quarta ter sido bem recebida pelo mercado.

(Reportagem de Rania El Gamal e Alex Lawler)