Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.837,70
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.104,36
    +56,07 (+0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

Pai e filho fazem sucesso nas redes com venda de tortas de família

Melissa Santos
·3 minuto de leitura
Enquanto Antonio faz as tortas da Torta do Pai, Diego realiza as entregas de bicicleta (Foto: Renan Bossi/Strava)
Enquanto Antonio faz as tortas da Torta do Pai, Diego realiza as entregas de bicicleta (Foto: Renan Bossi/Strava)

Quando a pandemia do novo coronavírus chegou ao Brasil em março deste ano, à pedido dos filhos, Antônio Sérgio Carvalho, motorista da Uber desde 2016, parou de trabalhar para respeitar as medidas de isolamento social. Após dois meses parado, ele viu as contas se acumularem. Foi quando sua família deu uma ideia para que ele pudesse trabalhar de casa: vender suas tortas, que sempre recebiam muitos elogios. Foi assim que nasceu a Torta do Pai.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

A princípio, Antônio acreditava que venderia poucas tortas e apenas para a família. Seu filho, o jornalista Diego Salgado, propôs que vendesse 50 unidades para pagar as contas, antes de decidir se continuaria com o negócio. “Fiz um post no meu Twitter divulgando o trabalho e foi impressionante. Tive mais de 10 mil curtidas, 4 mil retweets e recebemos 800 mensagens. Passei a noite toda respondendo... Em três semanas, vendemos 200 tortas”, conta Diego.

Leia também

De início, o desafio foi conseguir produzir em larga escala. “Normalmente fazia as tortas nas festas de fim de ano e nos aniversários”, lembra. De posse da receita de família de torta de frango, frango com requeijão e palmito, eles foram ao supermercado e no dia seguinte já começaram a efetuar as entregas. “Quando vimos que começou a dar certo, investimos em duas máquinas, um forno industrial e uma máquina para fazer a massa, assim aumentamos a produção”, conta Antônio, que vendeu 1.100 tortas em dois meses.

Enquanto Antônio cuida da cozinha, Diego aproveita o tempo livre para cuidar dos pedidos e também da entrega, feitas por ele mesmo, de bicicleta. “Tinha uma viagem que foi cancelada por conta da pandemia em que pedalaria do sul ao norte da Nova Zelândia. Me preparei física e psicologicamente e tive que ficar um mês parado. No fim, as entregas têm me proporcionando pedalar 70 km por dia, que era o que eu faria na viagem", explica.

Desde que começou, Torta do Pai já recebeu mais de mil pedidos (Foto: Tainá Nogueira/Acervo Pessoal)
Desde que começou, Torta do Pai já recebeu mais de mil pedidos (Foto: Tainá Nogueira/Acervo Pessoal)

A partir de quinta-feira, ele começa a rodar pela cidade para entregar as Tortas do Pai em vários bairros, como Lapa, Pompéia, Perdizes, Vila Mariana, Aclimação, Vila Olímpia, Moema, Morumbi, entre muitos outros. Na mochila, Diego consegue carregar, no máximo, 15 tortas (cerca de 15 kg) e depois retorna à casa do pai para reabastecer e seguir com as entregas.

“Começo as entregas depois do trabalho e de fim de semana, quando não tenho plantão, consigo entregar ainda mais. Tenho entregado cerca de 100 tortas por semana e pedalado, em média, 250 km. Normalmente as entregas são no centro expandido de São Paulo, mas já fui até Interlagos, Vila Prudente e Tatuapé. Cheguei a pedalar 92 km em um dia”, afirma.

“Sempre gostei de cozinhar e comer. Tem sido muito agradável trabalhar de casa e com segurança durante esse período. No futuro, pretendemos continuar investindo e, quem sabe, criar novas receitas”, finaliza Antônio.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube