Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    36.298,76
    -2.612,04 (-6,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Padrasto vai a júri popular hoje por matar menina de 2 anos asfixiada em Rio das Pedras

·1 min de leitura

Será submetido a júri popular, no plenário do IV Tribunal do Júri da capital, a partir de 13h desta terça-feira, dia 30, Raphael Fernandes Ferreirinha, de 34 anos. O rapaz é acusado de matar asfixiada a enteada, Nicolly da Conceição de Macedo, de 2 anos, na manhã de 19 de janeiro, em uma casa na comunidade de Rio das Pedras, na Zona Oeste do Rio.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, Raphael estaria desempregado e cuidava da menina e de seu irmão, de 7 anos, enquanto sua companheira, Nataly da Conceição de Macedo, trabalhava. Ao acordar, por volta de 9h30, a vítima chorou e gritou pela manhã. Por estar incomodado, ele apertou seu pescoço e bateu com sua cabeça no chão.

- Infelizmente, trata-se de mais um episódio de violência contra uma pessoa vulnerável, um bebê praticamente. As estatísticas comprovam que há cada vez mais pessoas capazes disso - lamenta o promotor Fábio Vieira, que irá participar do júri.

De acordo com as investigações da Delegacia de Homicídio da Capital (DHC), a avó da criançca foi a responsável por registrar o caso. Ela contou que foi informada do crime por uma ligação da filha. Nataly foi procurada, também por telefone, por Raphael. Ao retornar para casa onde morava a família, não o encontrou.

Em depoimento, a jovem contou que o então companheiro disse que, após a sua saída, Nicolly se debateu na cama, enrolou a língua e colou sangue pela boca. Uma médica de uma Clínica da Família da região foi chamada e atestou o óbito da menina. A profissional desconfiou de causas externas e acionou a Polícia Civil. No exame de necropsia, peritos do Instituto Médico Legal (IML) confirmou que ela sofreu asfixia mecânica e traumatismo craniano com hemorragia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos