Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.318,42
    -206,88 (-0,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Padeiros de São Paulo terão 11,08% de reajuste salarial

·1 min de leitura
*ARQUIVO* SAO PAULO, SP, 22-01-2016: Pao na chapa da Galeria do Paes, nos Jardins. (Foto: Julia Chequer/Folhapress)
*ARQUIVO* SAO PAULO, SP, 22-01-2016: Pao na chapa da Galeria do Paes, nos Jardins. (Foto: Julia Chequer/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Cerca de 55 mil padeiros, de aproximadamente 5.000 padarias e empresas, em São Paulo e na Grande São Paulo, terão reajuste salarial de 11,08%, de acordo com o Sindicato dos Padeiros de São Paulo. A categoria vai receber 7% em novembro, e os outros 4,08%, em fevereiro de 2022.

Segundo o sindicato, também terão aumento o abono salarial no Dia do Trabalhador da Categoria (Dia do Padeiro, em 13 de junho), o reajuste de 11,08% na cesta básica, a PRL(Participação nos Lucros e Resultados), o vale-refeição e a manutenção das demais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho.

Chiquinho Pereira, presidente do Sindicato, diz que a campanha não foi fácil, principalmente em razão da crise no país, e que foi fundamental a mobilização da categoria nas padarias, empresas e assembleias.

"Uma coisa é certa. É preciso o apoio dos trabalhadores. Um sindicato precisa do apoio de sua categoria. É preciso que os trabalhadores topem fazer a luta pelo reconhecimento e valorização de nossa profissão. Precisamos de muita luta para ganhar um melhor sustento para nossas famílias, pois os governantes tratam o nosso povo com descaso absoluto. As pessoas quando não têm responsabilidade e respeito não têm condições de respeitar o direito de ninguém. Toda pessoa que trabalha com o pressuposto chamado mentira não vai a lugar nenhum. E, enquanto essa diretoria estiver aqui, vamos lutar pelos direitos da nossa categoria", afirmou Pereira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos