Mercado fechará em 3 h 38 min
  • BOVESPA

    116.877,47
    +743,01 (+0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.787,77
    +358,02 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,84
    +3,21 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.735,50
    +33,50 (+1,97%)
     
  • BTC-USD

    20.021,15
    +644,39 (+3,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    454,92
    +9,49 (+2,13%)
     
  • S&P500

    3.781,32
    +102,89 (+2,80%)
     
  • DOW JONES

    30.258,55
    +767,66 (+2,60%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.637,50
    +351,75 (+3,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1400
    +0,0661 (+1,30%)
     

Pacote de alívio da inflação na Alemanha chegará a 13 bilhões de euros em 2022

BERLIM (Reuters) - O pacote da Alemanha para ajudar cidadãos e empresas a lidar com a inflação crescente será de 13 bilhões de euros este ano, com o governo federal contribuindo com 12 bilhões, disse o Ministério das Finanças nesta quarta-feira.

Com uma inflação de 7,9% em agosto ano a ano, a Alemanha está sob pressão para fornecer mais ajuda a consumidores e empresas atingidos por um aumento nos preços da energia.

A ajuda para 2023 será de cerca de 42,5 bilhões de euros, dos quais 24,6 bilhões de euros virão dos cofres federais, de acordo com um detalhamento ministerial do pacote, anunciado no domingo.

Um pagamento único de 300 euros para aposentados consumiria quase metade do alívio prometido para 2022, no valor de 6 bilhões de euros, enquanto as empresas intensivas em energia receberiam um total de 3 bilhões de euros neste ano e no próximo, mostrou o documento.

Cerca de 7,5 bilhões de euros em 2022 e 2023 serão destinados à redução dos impostos sobre a receita do gás e 10,1 bilhões, a maior parte dos fundos alocados, serão dedicados à compensação da inflação.

Um bilhete de transporte público com desconto, um sucessor do popular bilhete de 9 euros oferecido neste verão, custará 3 bilhões de euros no próximo ano.

O ministério disse que o detalhamento ainda não inclui os efeitos financeiros do adiamento de um aumento de preço de CO2, um teto de preço de eletricidade acordado ou o amortecimento dos crescentes encargos de rede, que chegariam a mais de 10 bilhões de euros.

(Reportagem de Christian Kraemer e Riham Alkusaa)