Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    34.933,06
    -3.061,14 (-8,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Pacheco diz a empresários que Congresso não pode falhar e pede ousadia na reforma tributária

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  14-04-2021 - Rodrigo Pacheco (DEM-MG). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 14-04-2021 - Rodrigo Pacheco (DEM-MG). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse na manhã desta quinta (20) que o Congresso não pode errar na análise da reforma tributária.

Em seminário na Confederação Nacional da Indústria, Pacheco disse a empresários que vai se reunir com Arthur Lira (PP-AL) nesta tarde para discutir os caminhos da reforma.

Pessoas presentes afirmaram que Pacheco falou em cautela, mas disse ser necessário ter ousadia para simplificar o sistema tributário do país.

O modelo de reforma está indefinido desde que Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados, extinguiu a comissão que debatia o texto do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Como mostrou o jornal Folha de S.Paulo, Lira analisa seguir a vontade do governo federal e fatiar a reforma entre cinco relatores.

À Folha de S.Paulo, o 1º vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos, disse que a proposta do governo é uma “pizza de vento”.​

Pacheco defendeu na CNI a utilização do relatório produzido pela comissão extinta por Lira e afirmou que a reforma não pode ser discutida em um ambiente de conflito.

No encontro, Pacheco acordou ainda a privatização da Eletrobras, aprovada na Câmara, e disse que vai designar um relator e que ela será analisada dentro do prazo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos