Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,95
    -0,20 (-0,32%)
     
  • OURO

    1.739,70
    +3,40 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    63.209,35
    -152,21 (-0,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.373,61
    -2,17 (-0,16%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.939,58
    +49,09 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    28.872,82
    -28,01 (-0,10%)
     
  • NIKKEI

    29.741,57
    +120,58 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    13.820,75
    +22,00 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7743
    +0,0014 (+0,02%)
     

CPI da Covid: Pacheco descarta apurar irregularidades na atuação do governo na pandemia

Ana Paula Ramos
·2 minuto de leitura
Pazuello e Pacheco
Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (Foto: Pedro França/ Agência Senado)

Mesmo diante da pressão de senadores, o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) descartou a instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar supostas irregularidades na atuação do governo de Jair Bolsonaro no combate à covid-19.

Eleito com apoio de Bolsonaro, o presidente do Senado argumenta que o mais importante agora é ampliar a vacinação em todo o país.

Leia também:

“Hoje o nosso problema maior é o coronavírus. Neste momento, temos é que buscar solução, é buscar a vacina. O Congresso estará disposto a ajudar na solução”, afirmou.

O requerimento com pedido de instalação de CPI, apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), já tem 31 assinaturas - são necessárias 27 para instalar a comissão.

O líder da Maioria, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que o Senado não pode se omitir em meio à crise sanitária e econômica.

“O Senado não pode se omitir no momento mais grave da nação. É imperiosa a abertura da CPI da Covid e a atuação em defesa dos governadores no pacto pela vida. Não instalar a CPI enfraquece o Senado”, disse o parlamentar.

Outro ponto importante para os apoiadores da comissão é que, em uma CPI, Pazuello seria convocado, e não convidado a prestar esclarecimentos, como vem acontecendo atualmente no Congresso. Com isso, poderia ser responsabilizado caso mentisse.

Parlamentares criticam a falta de planejamento do Ministério da Saúde, que apresenta dados diferentes, sem explicar a mudança.

Na quarta-feira (10), por exemplo, Pazuello voltou a reduzir a previsão de doses de vacina contra covid-19 a serem distribuídas a estados e municípios no mês de março. Esta é a quinta redução apontada a partir de cronogramas da pasta ou de declarações do ministro.

Senadores aliados ao governo acreditam, no entanto, que uma comissão parlamentar “mais atrapalha do que ajuda” nesse momento de crise por conta da pandemia.

Líder do DEM, senador Marcos Rogério (TO) argumentou que a Comissão Temporária da Covid-19 já está funcionando, o que torna desnecessária a CPI.

Ontem, pela primeira vez desde o início da pandemia, o Brasil registrou mais de 2 mil mortes por covid-19. O total de mortos no país chegou a 270.656 e o de casos a 11.202.305, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde).