Mercado abrirá em 1 h 33 min

Países pobres terão primeiras vacinas anticovid no 1o trimestre de 2021

·1 minuto de leitura
Enfermeira segura frasco da vacina Pfizer-BioNTech contra a covid-19 em hospital de Londres

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a aliança GAVI, que criaram um mecanismo para uma distribuição equitativa das vacinas contra o coronavírus, sobretudo nos países com menos recursos, estimam que as primeiras doses começarão a ser enviadas no primeiro trimestre de 2021.

Batizado de COVAX, este mecanismo "conseguiu reunir em torno de 2 bilhões" de doses, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (18). 

"A luz no fim do túnel é um pouco mais luminosa", completou.

A OMS estabeleceu o objetivo de contar com 2 bilhões de doses de vacinas para o final de 2021.

Em um comunicado, a OMS e a aliança para as vacinas GAVI indicaram que já é possível "planejar as primeiras entregas de vacinas para o primeiro trimestre de 2021, com a distribuição do primeiro lote de doses - suficiente para proteger os profissionais da saúde e dos serviços sociais - no primeiro semestre de 2021 em todas as economias participantes (do mecanismo COVAX) que pediram doses para este prazo".

Após essa primeira fase de distribuição, haverá outra no segundo semestre de 2021 em todos os países que integram o programa, com o objetivo de vacinar 20% da população dos Estados participantes antes do fim do ano, segundo o comunicado.

"Os anúncios de hoje oferecem o caminho mais claro até o momento para encerrar a fase aguda da pandemia, protegendo os grupos da população mais vulneráveis em todo o mundo", explicava o texto.

Ambas as organizações destacaram que este plano de entregas dependerá de vários fatores, como a aprovação das normativas correspondentes e o nível de preparação dos países.

apo/vog/jhd/bl/jvb/tt/aa