Mercado abrirá em 7 h 51 min
  • BOVESPA

    120.636,39
    -605,24 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.495,41
    -962,61 (-2,07%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,36
    +0,38 (+0,72%)
     
  • OURO

    1.848,20
    +8,00 (+0,43%)
     
  • BTC-USD

    35.207,43
    -686,82 (-1,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    698,32
    -16,88 (-2,36%)
     
  • S&P500

    3.798,91
    +30,66 (+0,81%)
     
  • DOW JONES

    30.930,52
    +116,26 (+0,38%)
     
  • FTSE

    6.712,95
    -7,70 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.713,14
    +70,86 (+0,24%)
     
  • NIKKEI

    28.497,67
    -135,79 (-0,47%)
     
  • NASDAQ

    13.036,00
    +50,50 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5065
    +0,0079 (+0,12%)
     

Países mais pobres podem receber vacinas em semanas, segundo OMS

Robin MILLARD
·1 minuto de leitura
Profissional de saúde prepara aplicação de vacina contra a covid-19(ARQUIVO)

Os países mais pobres podem começar a receber as primeiras doses de vacinas contra a covid-19 em semanas, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quinta-feira (7). 

O processo de vacinação já está ocorrendo em algumas das nações mais ricas, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, países europeus e Canadá.

A aliança privada e pública Covax, que organiza a distribuição mundial de vacinas, assinou acordos para obter até 2 bilhões de doses. As primeiras começarão a ser distribuídas no final de janeiro, explicou a chefe da seção de vacinas da OMS, Kate O'Brien. 

A meta da Covax é obter vacinas para 20% da população de cada país participante até o final deste ano. 92% dos países mais pobres terão seus custos de compra cobertos. 

A especialista da OMS lembrou que as novas variantes do coronavírus que surgiram no Reino Unido e na África do Sul não afetam, em princípio, a eficácia das vacinas.

rjm/nl/jz/jvb/jc/mvv