Mercado fechará em 5 h 5 min
  • BOVESPA

    109.452,09
    -1.334,34 (-1,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.988,24
    -309,96 (-0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,48
    -0,94 (-1,13%)
     
  • OURO

    1.785,10
    +0,20 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    65.277,72
    -460,57 (-0,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.546,71
    +12,07 (+0,79%)
     
  • S&P500

    4.533,40
    -2,79 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    35.541,01
    -68,33 (-0,19%)
     
  • FTSE

    7.190,24
    -32,86 (-0,45%)
     
  • HANG SENG

    26.017,53
    -118,49 (-0,45%)
     
  • NIKKEI

    28.708,58
    -546,97 (-1,87%)
     
  • NASDAQ

    15.380,25
    +2,75 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5467
    +0,0271 (+0,42%)
     

Países fecham acordo em torno de importo corporativo global

PARIS (Reuters) - Um acordo global para assegurar que grandes companhias paguem uma taxa mínima de 15% de imposto e que torna mais difícil para elas evitar tributação foi assinado aceito por 136 países, inclusive o Brasil, nesta sexta-feira, afirmou a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

A entidade afirmou que o acordo permitirá aos países coletarem cerca de 150 bilhões de dólares em novas receitas por ano.

Os países pretendem assinar uma convenção multilateral sobre o tributo em 2022, para que ele seja implementado em 2023, afirmou a OCDE.

(Por Leigh Thomas)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos