Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.559,80
    +1.453,96 (+4,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

"País quebrado" foi jargão popular e Bolsonaro está comprometido com consolidação fiscal, diz Sachsida

Gabriel Ponte
·1 minuto de leitura
Moedas de um real

Por Gabriel Ponte

BRASÍLIA (Reuters) - O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, afirmou nesta sexta-feira que o presidente Jair Bolsonaro está comprometido com a agenda de consolidação fiscal, mencionando que o encerramento no último dia 31 do programa emergencial criado em razão da pandemia sinaliza comprometimento com as contas públicas.

"Havia clamor de vários setores da sociedade pela prorrogação do auxílio emergencial. O presidente foi lá e vetou. Quer mais do que isso como prova de que presidente está alinhado com agenda de consolidação?", pontuou Sachsida, também mencionando que Bolsonaro já sinalizou, em outras oportunidades, apoio ao mecanismo do teto de gastos.

Sachsida comentou ainda fala do presidente Bolsonaro na última terça-feira, quando disse que o Brasil estava "quebrado".

"Foi apenas um jargão popular para endereçar um problema que, sejamos francos, todos temos conhecimento..., que se refere à situação fiscal delicada da economia brasileira", disse Sachsida.