Mercado fechará em 1 h 20 min
  • BOVESPA

    129.818,71
    +377,68 (+0,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.288,51
    +2,05 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,91
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.865,30
    -14,30 (-0,76%)
     
  • BTC-USD

    39.967,17
    +2.530,65 (+6,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    998,31
    +29,47 (+3,04%)
     
  • S&P500

    4.236,41
    -11,03 (-0,26%)
     
  • DOW JONES

    34.237,50
    -242,10 (-0,70%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.059,00
    +64,75 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1506
    -0,0420 (-0,68%)
     

País enfrenta problema com inflação, mas trabalha para cumprir meta no ano, diz Sachsida

·1 minuto de leitura
Moedas de um real são dispostas. 15/10/2010. REUTERS/Bruno Domingos.

BRASÍLIA (Reuters) - O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, reconheceu nesta quarta-feira que o país enfrenta um cenário desafiador em termos inflacionários, afirmando ser provável que a inflação registre um pico nos meses de junho e julho.

Em participação em evento remoto promovido pelo Brazil-Florida Business Council, Sachsida afirmou que o ministério tem trabalho fortemente para trazer a inflação de volta à meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para 2021 ao fim do ano.

"No momento, temos alguns problemas com a inflação, eu entendo, e provavelmente a inflação atingirá o pico em junho e julho. No entanto, estamos trabalhando muito para que a inflação fique dentro da meta até o final do ano", disse o secretário.

"Eu estou muito certo de que o Banco Central irá fazer sua parte para reduzir a inflação, e nós, aqui no governo, iremos fazer a mesma coisa", pontuou, também defendendo o processo de consolidação fiscal como forma de ancorar expectativas e reduzir as projeções para a carestia.

A inflação oficial do Brasil disparou em maio acima do esperado e atingiu o nível mais elevado para o mês em 25 anos sob pressão da energia elétrica, ultrapassando em 12 meses 8% num momento de atenção ao cenário inflacionário e de aperto da política monetária.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou a alta a 0,83% em maio depois de subir 0,31% em abril, de acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta quarta.

A meta oficial para este ano prevê uma inflação de 3,75%, com margem de 1,5 ponto percentual para cima ou baixo.

(Por Gabriel Ponte)