Mercado abrirá em 9 h 48 min
  • BOVESPA

    106.858,87
    +1.789,18 (+1,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.605,56
    +8,27 (+0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,17
    +0,68 (+0,98%)
     
  • OURO

    1.779,30
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    50.761,29
    +1.842,79 (+3,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.314,38
    +54,22 (+4,30%)
     
  • S&P500

    4.591,67
    +53,24 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    35.227,03
    +646,95 (+1,87%)
     
  • FTSE

    7.232,28
    +109,96 (+1,54%)
     
  • HANG SENG

    23.637,25
    +287,87 (+1,23%)
     
  • NIKKEI

    28.315,60
    +388,23 (+1,39%)
     
  • NASDAQ

    15.869,00
    +26,25 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4238
    +0,0002 (+0,00%)
     

P/L do Ibovespa está em mínima histórica: é hora de comprar ações?

·5 min de leitura

A bolsa de valores brasileira vem experimentando fortes quedas nos últimos tempos. Desde junho, a queda acumulada é de mais de 18%.

Quedas assim nem sempre indicam coisas ruins, como quebra de empresas ou piora dos resultados financeiros.

Muitas vezes a queda das cotações ocorre apenas por causa de questões relacionadas à conjuntura macroeconômica, como aumento da taxa básica de juros (Selic), inflação (IPCA), ou déficits públicos.

Chamamos isso de risco sistêmico. Quando isso acontece, as ações caem, mas os resultados das empresas continuam positivos. 

Podemos ter uma noção sobre esse tipo de movimentação através da relação entre lucros e preços, o chamado P/L. Esse indicador mostra quantas vezes o preço de um ativo vale em relação ao seu respectivo lucro.

Em tese, quanto menor o indicador P/L mais barato é uma empresa, pois mais lucro a ação estará carregando por um determinado preço. 

Com isso, se esse indicador caiu em um determinado período, é sinal que as ações baratearam, enquanto que o contrário ocorre quando o valor do P/L sobe.

Atualmente o Ibovespa está sendo negociado com a um preço de 6,2 vezes o lucro agregado das empresas que compõem o índice, enquanto que no início do ano o mesmo indicador era de cerca de 22 vezes. As informações são do site site Oceans14

Como o índice das ações brasileiras caiu cerca de 10% ao longo do ano, temos que os lucros, em termos agregados, subiram em cerca de 240% no período.

Vale lembrar que essa evolução tem como base um ano atípico, que foi 2020, por causa da crise da pandemia da Covid-19. 

Temos também que ter em mente que grande parte desse lucro veio de empresas que exploram commodities, como Petrobrás e Vale. Ou seja, são empresas cíclicas, que enfrentam períodos bons, seguidos de outros ruins.

Diante disso, podemos dizer que está mais barato investir na bolsa de valores? A resposta, como quase sempre, é: depende.

Cuidados com o P/L

A principal regra no mercado financeiro é que, para ganhar dinheiro, deve-se comprar barato e vender caro.

Na verdade, isso é mais simples na teoria do que na prática, pois o preço de um ativo financeiro reflete as expectativas dos investidores em relação ao futuro.

Por exemplo, uma ação que se desvaloriza hoje pode não necessariamente significar que ela ficou mais barata, mas sim que o mercado acredita que o que está acontecendo no presente, ou o que irá acontecer no futuro, poderá fazer com que seus resultados piorem ao longo do tempo.

Dessa forma, uma ação ou índice com P/L baixo indica que os ativos estão baratos, mas apenas em relação aos históricos passados. Em relação ao futuro é outra história.

Em outras palavras, o P/L mensura a relação dos preços atuais com os lucros dos trimestres anteriores. Se o lucro no futuro se mantiver no patamar atual, ou mesmo se subir, então podemos deduzir que as ações ficarão mais baratas caso suas cotações caiam. Logo, podemos dizer que vale a pena investir.

Por outro lado, se estimarmos que os próximos períodos serão ruins para as empresas, e que os lucros irão cair, então pode ocorrer do P/L subir com o tempo e revelar que tudo aquilo que acreditávamos estar barato hoje, na verdade, está caro.

Resumindo, o P/L é um indicador que não deve ser usado de forma mecânica. É preciso ter uma boa análise em relação ao futuro, visto que os investidores compram e vendem ativos olhando para o horizonte à frente, e não somente para o retrovisor.

É hora de investir na bolsa?

Como dito anteriormente, a resposta sobre se vale ou não a pena entrar na bolsa de valores neste momento depende da perspectiva em relação ao futuro.

Para analistas do mercado financeiro, as quedas recentes do Ibovespa já precificaram todo o cenário ruim da política econômica que vem sendo implementada pelo governo.

Segundo relatório recente publicado por analistas da XP Investimentos, Fernando Ferreira e Jennie Li, as estimativas em relação ao P/L de 12 meses adiante do Ibovespa estão em 8 vezes. Se isso se confirmar, teremos o menor nível deste indicador desde 2008.

A questão principal, portanto, é sobre o quanto as perspectivas com a economia ainda irão piorar. Ou seja, até onde irão os juros da renda fixa e por quanto tempo eles ficarão em alta. 

Enquanto os juros elevados trazem muitas oportunidades ao investidor obter altos retornos com riscos menores na renda fixa, eles também são deletérios para a economia e para as empresas, que são o motor de crescimento do país.

Como já mostrado aqui, o forte aperto monetário tende a deteriorar as condições econômicas, de modo que os agentes do mercado já esperam que uma queda dos juros não demore tanto assim.

Para muitos estrategistas, as ações já estão baratas o suficientes e que, talvez, o momento ideal para entrar seja agora.

Esse contexto tem, inclusive, atraído muitos investidores estrangeiros.

“Apesar de não ser impossível, o preço das ações brasileiras já recuou a níveis bastante atrativos. Provavelmente por isso que continuamos vendo um forte fluxo de entrada de investidores estrangeiros na Bolsa, apesar do macro mais turbulento. Só no mês de Outubro as entradas líquidas de estrangeiros na B3 já somam R$ 11,5 bilhões”, apontam Fernando Ferreira e Jennie Li.

Por outro lado, o investidor deve se manter cauteloso, pois o cenário político de forte polarização, principalmente no ano eleitoral que teremos pela frente, com certeza trará muita volatilidade ao mercado.

O indicado, como em toda situação, é se manter apegado ao próprio perfil de risco e não alocar em renda variável o montante maior do que se está disposto a perder.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos