Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -657,98 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,53 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,86 (-2,12%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,20 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    12.964,21
    +67,63 (+0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,09 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,65 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,32 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +19,50 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6639
    +0,0538 (+0,81%)
     

S&P 500 fecha em queda com investidor de olho em impasse sobre estímulo fiscal

Por Noel Randewich
·2 minutos de leitura

Por Noel Randewich

(Reuters) - O índice S&P 500 encerrou em baixa nesta quinta-feira, depois que um aumento nos pedidos semanais de auxílio-desemprego nos Estados Unidos acentuou preocupações sobre estagnação da retomada econômica. O mercado foi afetado ainda por menores esperanças de mais auxílio fiscal antes da eleição.

O número de norte-americanos que ingressaram com novos pedidos de auxílio-desemprego aumentou para uma máxima de dois meses na semana passada, alimentando temores de que a pandemia da Covid-19 esteja causando danos permanentes ao mercado de trabalho.

Um relatório separado mostrou que a atividade manufatureira no Estado de Nova York caiu mais do que o previsto para outubro.

"No outono (nos EUA), será difícil para o desemprego percorrer um caminho muito positivo por causa da falta de estímulo", disse Christopher C. Grisanti, estrategista-chefe de ações da MAI Capital Management, em Cleveland.

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que estava disposto a aumentar sua oferta, de 1,8 trilhão de dólares, por um acordo com os democratas no Congresso sobre um pacote de alívio aos efeitos da Covid-19, mas a ideia foi rejeitada pelo seu colega republicano, o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell.

O índice de volatilidade da CBOE, conhecido como índice do medo, alcançou uma máxima em uma semana, e os índices de Wall Street recuaram pelo terceiro dia consecutivo. O S&P 500 está cerca de 3% abaixo de sua máxima recorde de fechamento, marcada em 2 de setembro.

A menos de 20 dias da realização das eleições, em 3 de novembro, Trump e seu oponente democrata, Joe Biden, participarão nesta quinta-feira de diferentes eventos em formato "town hall", mas ambos em horário nobre, em vez de comparecerem a um segundo debate presidencial, cancelado depois que Trump se recusou a participar remotamente.

Uma presidência de Biden e um Senado democrata poderiam significar um plano de estímulo fiscal maior do que aquele com o qual um Senado republicano concordaria. No entanto, Biden também é amplamente visto em Wall Street como alguém que provavelmente aumentará os impostos.

Apoiando o Dow Jones, Walgreens Boots Alliance Inc subiu 4,8%, uma vez que a rede de drogarias previu um crescimento de um dígito no lucro em 2021, após reportar lucro melhor do que o esperado no terceiro trimestre.

O Dow Jones teve variação negativa de 0,07%, encerrando o dia aos 28.494,2 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 0,15%, aos 3.483,34 pontos. O Nasdaq teve queda de 0,47%, aos 11.713,87 pontos.

(Reportagem adicional de Medha Singh e Shivani Kumaresan em Bengaluru)