Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.528,97
    +456,35 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,76
    -0,91 (-1,45%)
     
  • OURO

    1.783,90
    +5,50 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    54.581,86
    -1.473,81 (-2,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.242,24
    +7,83 (+0,63%)
     
  • S&P500

    4.134,94
    -28,32 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    33.821,30
    -256,33 (-0,75%)
     
  • FTSE

    6.888,88
    +29,01 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.765,25
    -29,00 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6692
    -0,0333 (-0,50%)
     

S&P 500 fecha em queda sob pressão de tecnologia; Dow Jones fica estável

Herbert Lash
·2 minuto de leitura
Parte de trás da estátua "Fearless Girl" (Garota Destemida, em tradução livre). Ao fundo, a fachada do prédio da Bolsa de Valores de Nova York (NYSE)

Por Herbert Lash

NOVA YORK (Reuters) - O índice S&P 500 fechou em baixa nesta quarta-feira, com o otimismo sobre a recuperação econômica expresso pelo chair do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), Jerome Powell, e pela secretária do Tesouro, Janet Yellen, incapaz de interromper a queda de ações do setor de tecnologia pelo segundo dia consecutivo.

Os comentários das duas principais autoridades econômicas norte-americanas espelharam o que ambas disseram ao Congresso na terça-feira, com Powell afirmando nesta quarta-feira que o caso mais provável é que 2021 seja "um ano muito, muito forte".

Embora os três índices de ações tenham fechado em baixa, o Nasdaq --com forte peso de papéis de tecnologia-- sofreu a queda mais forte, de 2%. As ações desse segmento lideraram o rali do mercado no ano passado e levaram o Nasdaq a dobrar em relação às mínimas de 2020.

Nesta quarta, investidores venderam esses papéis "campeões" de 2020 e compraram ações com preços descontados --que tendem a se beneficiar mais da retomada da economia pós-crise. As ações de valor fecharam estáveis, enquanto as de crescimento --que incluem papéis de tecnologia-- caíram 1,4%.

O mercado de renda fixa seguiu no radar dos agentes. Os yields do Treasury dez anos caíam 2,8 pontos-base na sessão, para 1,6102%.

"Todos estão otimistas quanto às perspectivas de uma recuperação no momento", disse David Yepez, analista de ações e gestor de portfólio da Exencial Wealth Advisors. "Para que o mercado chegue ao fundo do poço, precisamos ter mais medo, e não sinto que o mercado tenha medo agora."

O segmento financeiro teve alta de 0,4%, e o industrial valorizou-se 0,7%, enquanto o setor de energia avançou 2,5%, com os preços do petróleo recuperando-se de uma queda de 6% na última sessão.

O índice Dow Jones teve variação negativa de 0,01%, a 32.420 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 0,54673%, a 3.889 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuou 2,01%, a 12.962 pontos.