Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.632,98
    +940,64 (+2,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

CORREÇÃO-Wall Street atinge novos recordes após dados fortes de emprego

·2 minuto de leitura
Bolsa de valores de Nova York, EUA

(Corrige no 2º parágrafo para esclarecer que é a mais longa série de recordes consecutivos desde 1997, não ganhos seguidos)

Por Herbert Lash

NOVA YORK (Reuters) - Wall Street atingiu novas máximas nesta sexta-feira, com o S&P fechando em alta pelo sétimo dia consecutivo, após o relatório de empregos de junho dos Estados Unidos mostrar níveis robustos de contratação, mas fraquezas ainda persistentes no mercado de trabalho, o que seguirá evitando que o Federal Reserve eleve juros em breve.

Os três principais índices acionários norte-americanos --S&P, Dow e Nasdaq-- terminaram a sessão em pontuações recordes. A sequência de máximas históricas para o S&P é a mais longa desde junho de 1997, de acordo com o S&P Dow Jones Indices.

O relatório de empregos do Departamento de Trabalho dos EUA indicou que foram criadas 850 mil vagas fora do setor agrícola no país no mês passado, mas que o total ainda está 6,8 milhões abaixo do pico registrado em fevereiro de 2020.

Os dados, melhores do que o esperado, foram um sinal de que a escassez de mão-de-obra que paira sobre a economia dos EUA está começando a perder força, mas não o suficiente para levar o Fed a subir as taxas de juros.

As ações de grandes companhias de tecnologia capitanearam os ganhos em Wall Street, enquanto o rendimento do Treasury de 10 anos recuou para 1,431%.

"Para os mercados de capitais, ações e títulos, este foi um relatório perfeito", disse Darrell Cronk, diretor de investimentos do Wells Fargo Wealth & Investment Management. "Há empregos suficientes, algo que você gostaria de ver, mas não em excesso para preocupar as pessoas com a possibilidade de o Fed ter de agir mais cedo."

Investidores temiam que uma recuperação mais forte do que o esperado e as perspectivas de um aumento da inflação pudessem forçar o Fed a reduzir seus instrumentos de apoio e elevar as taxas de juros, prejudicando ações de tecnologia, cujo crescimento e fluxo de caixa estão em um futuro mais distante.

A Microsoft foi responsável pela maior contribuição ao amplo avanço do S&P, seguida por Apple, Amazon.com e Alphabet, dona do Google. As ações do setor financeiro, que têm ganhos menores sob juros mais baixos, recuaram, assim como as de serviços públicos.

O Dow Jones fechou em alta de 0,44%, a 34.786,35 pontos, enquanto o S&P 500 subiu 0,75%, a 4.352,34 pontos, e o Nasdaq avançou 0,81%, a 14.639,33 pontos.

Na semana, o S&P acumulou ganhos de 1,7%, o Dow teve alta de 1,0% e o Nasdaq subiu 1,9%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos