Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -0,32 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    36.613,38
    +1.612,71 (+4,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +76,96 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,12 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -43,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Pátria Agronegócios reduz previsão para safra de soja 20/21 do Brasil

·1 minuto de leitura
Colheita de soja em Primavera do Leste (MT)

SÃO PAULO (Reuters) - A produção de soja do Brasil em 2020/21 deverá atingir 127,57 milhões de toneladas, estimou nesta terça-feira a consultoria Pátria Agronegócios, promovendo corte de 1,2% em relação à sua previsão anterior.

Apesar do corte, que totaliza 1,6 milhão de toneladas e foi puxado pela queda dos rendimentos em importantes Estados após uma seca prolongada, a cifra projetada pela Pátria ainda aponta para alta de 2,2% na comparação anual.

"Os cortes são um resultado de produtividades em declínio no Mato Grosso, sudoeste de Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo e na região Sul do Brasil", afirmou a consultoria em comunicado.

A Pátria estimou a área plantada com a oleaginosa no país em 38,44 milhões de hectares, alta de 4% em relação ao ano passado e inalterada frente à previsão anterior da empresa.

Já a produtividade deve atingir 3.319 kg por hectare, queda de 1,8% na comparação anual e de 1,2% ante o relatório anterior.

A estimativa da Pátria para a safra fica próxima da divulgada também nesta terça-feira pela Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), que apontou para expectativas de 127 milhões de hectares --corte de 2 milhões de toneladas em relação à previsão passada, mas ainda assim um recorde.

(Por Gabriel Araujo e Roberto Samora)