Mercado abrirá em 2 h 51 min

Overture: avião supersônico terá dobro da velocidade dos atuais; veja detalhes

Modelo em miniatura do avião Overture, em desenvolvimento pela Boom Supersonic (JUSTIN TALLIS/AFP via Getty Images)
Modelo em miniatura do avião Overture, em desenvolvimento pela Boom Supersonic (JUSTIN TALLIS/AFP via Getty Images)
  • Modelo é o sucesso espiritual do Concorde, que saiu de operação em 2003;

  • Overture pode chegar a até 1.800 km/h;

  • Avião deve estrear nos voos com passageiros apenas em 2029.

A American Airlines anunciou a compra de 20 novos aviões, até aí nada digno de notícia. Só que essas aeronaves serão de um novo modelo que promete revolucionar a aviação comercial.

Produzido pela Boom Supersonic, o Overture é um projeto de avião supersônico, que promete alcançar o dobro das velocidades dos aviões normais, chegando a até 1.800 km/h com uma autonomia de aproximadamente 7,8 mil km.

A empresa promete que o avião será capaz de reduzir na metade o tempo gasto em 600 rotas ao redor do mundo. Um voo entre Miami e Londres, por exemplo, que demora cerca de 10 horas para ser feito, será realizado em apenas cinco.

Com 61 metros de comprimento e 32 metros de largura e uma capacidade de 65 a 80 passageiros, espera-se que o primeiro voo seja realizado em 2026, com o primeiro transporte de passageiros acontecendo somente em 2029.

A Boom Supersonic afirmou que um total de 130 unidades foram encomendadas pela American Airlines, United Airlines e Japan Airlines. Além das 20 encomendadas desta vez pela American Airlines, o acordo das duas empresas prevê a compra de mais 40 no futuro.

Sucessor do Concorde

Quebrar a barreira do som não é novidade para a aviação comercial. Nos anos 70 o Concorde estreou realizando esses tipos de voos super rápidos. No entanto, a novidade foi vista mais como um artifício publicitário, e não como um desenvolvimento sério do setor.

Apenas 14 unidades do Concorde foram postas para uso comercial, a maioria pela Air France e British Airways realizando voos de 3 horas entre os Estados Unidos e a Europa.

Mesmo assim, o avião deu no que falar, muito por conta do preço da passagem. O Concorde conseguia transportar um máximo de 100 passageiros, elevando o preço do bilhete aéreo; e pelo barulho que fazia seu estrondo sônico, tendo sido criado até mesmo uma organização ambientalista contra o modelo, o Projeto Anti-Concorde. A Boom Supersonic planeja reduzir esse tipo de reclamação diminuindo a diferença de velocidade quando sobrevoando terra, fazendo com que o avião seja apenas 20% mais potente nesses trechos.