Ouro cai 1,63% e tem menor nível em 7 meses

Os contratos futuros de ouro negociados na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fecharam em queda nesta quarta-feira, atingindo o menor nível em sete meses. O metal foi pressionado pelas expectativas com a divulgação da ata da reunião de janeiro do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve, que ocorreu no mesmo horário do fechamento do mercado.

O contrato de ouro mais negociado, com entrega para abril, perdeu US$ 26,20 (1,63%), fechando a US$ 1.578,00 a onça-troy, o menor nível desde 24 de julho do ano passado. "Uma antecipação de que a ata do Fomc mostraria uma discussão sobre uma redução ou potencial fim da terceira rodada de relaxamento monetário este ano pesou sobre o ouro", afirmou Jason Rotman, presidente da Lido Isle Advisors. Segundo ele, o metal também foi pressionado por um movimento técnico, após cair abaixo do nível de suporte de US$ 1.630. Agora, a próxima marca a se observar é US$ 1.540.

Os dirigentes do Fed manifestaram uma inquietação crescente com a política monetária relaxada da instituição e alguns deles sugeriram que o banco central poderá ter de endurecer antes de uma normalização completa do mercado de mão de obra. É o que diz a ata da reunião do Fomc. O documento aponta que alguns participantes mostraram a preocupação de que a política monetária frouxa possa levar à instabilidade nos mercados financeiros e de que poderá ser mais difícil revertê-la no futuro. O Fed planeja avaliar o desempenho de seu programa de estímulo à recuperação econômica em sua próxima reunião, em 19 e 20 de março.

A queda do ouro nesta sessão fez surgir rumores de uma "cruz da morte" (death cross), que ocorre quando a média móvel de longo prazo cai abaixo da média móvel de curto prazo ou outro nível de suporte importante. "Isso significa que a tendência de longo prazo de alta do ouro acabou e que o metal pode entrar em uma trajetória de queda", comentou Chintan Karnani, analista independente de Nova Délhi.

Para Ole Hansen, diretor de estratégias de commodities do Saxo bank, a "cruz da morte" ainda não aconteceu. "Para o ouro entrar em uma tendência de queda, é preciso fechar abaixo de US$ 1.520 por uma semana. Assim, os próximos dias serão cruciais para os preços do metal. Estou otimista e não espero que o ouro caia abaixo de US$ 1.470, mesmo no pior dos cenários", disse. As informações são da Dow Jones.

Carregando...