Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    59.055,96
    +576,04 (+0,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Otimismo na zona do euro supera expectativas em março, Alemanha lidera

·1 minuto de leitura
Otimismo na zona do euro supera expectativas em março, Alemanha lidera

BRUXELAS (Reuters) - O sentimento econômico na zona do euro melhorou muito mais do que o esperado em março, mostraram dados nesta terça-feira, indo acima da média de longo prazo pela primeira vez desde que a pandemia de coronavírus atingiu a Europa 12 meses antes, com a Alemanha na liderança.

A pesquisa mensal da Comissão Europeia mostrou que o sentimento econômico nos 19 países que usam o euro saltou para 101 pontos em março de 93,4 em fevereiro, superando a expectativa de economistas de 96 pontos.

"Pela primeira vez desde o surto de Covid-19 no continente, o sentimento está... ligeiramente acima da média de longo prazo", disse a Comissão. "As altas foram de uma magnitude que não era vista desde a forte recuperação do verão passado após a primeira fase da pandemia."

A Comissão disse que entre as maiores economias da UE, a Alemanha se destacou com a maior melhora do sentimento mensal, de 7,9 pontos, para 103,7 pontos.

O otimismo melhorou em todas as categorias, com o sentimento na indústria passando a 2,0 de -3,1 e em serviços subindo a -9,3 de -17,0. O otimismo do consumidor melhorou a -10,8 de -14,8.

(Reportagem de Jan Strupczewski)