Mercado fechado

Otimismo global dá suporte a bolsas em NY

Valor

Expectativa de formalização de acordo comercial entre EUA e China e alívio de política monetária pelo BC chinês alimentam bom humor As ações globais aceleram nesta quinta-feira, o primeiro dia de pregão em 2020, com os mercados sustentados pelas expectativas de um acordo comercial entre os EUA e a China e o alívio de política monetária pelo banco central chinês neste início de ano.

Em Nova York, os principais índices acionários abriram a sessão em alta. Por volta de 12h40, o Dow Jones ganhava 0,39%, aos 28.648,53 pontos, o S&P 500 avançava 0,28%, para 3.239, 81 pontos, e o Nasdaq subia 0,46%, com 9.014,24 pontos. Dentro do S&P, o setor de tecnologia era destaque de alta, com ganho próximo de 1,0%.

Na Europa, no mesmo horário, o índice Stoxx Europe 600 subia 0,98%, aos 419,90 pontos, liderado pelo setor bancário.

O Banco Central da China reduziu nesta madrugada o nível de depósitos que os bancos comerciais têm de manter como reserva em 0,5 ponto percentual, injetando mais de 800 bilhões de yuans (US$ 114,9 bilhões) no sistema financeiro.

O índice do dólar DXY operava em forte alta de 0,40%, aos 96,777 pontos. O euro recuava 0,3% para US$ 1,1173, após a leitura final do índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria da zona do euro para dezembro ter sido revista em alta, ainda que continue a demonstrar uma contração do setor.

O IHS Markit informou também que o PMI da indústria final dos EUA caiu de 52,6 na leitura preliminar, para 52,4.

Na China, a atividade das fábricas arrefeceu ligeiramente em dezembro, mas continuou em território de expansão pelo quinto mês consecutivo, segundo uma sondagem privada.

Na frente comercial, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse na terça-feira (31) que vai assinar o acordo comercial de 'fase um' que alcançou recentemente com a China no dia 15 de janeiro, em Washington, celebrando uma trégua formal da guerra comercial entre as duas economias.