Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    58.115,76
    +604,12 (+1,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Otimismo econômico global está em níveis recordes e "boom" deve continuar, prevê BofA

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - O otimismo sobre a economia global está em níveis nunca vistos, em meio a um "boom" econômico patrocinado por abundante liquidez e que deve perdurar, disseram profissionais do Bank of America, minimizando riscos de mudanças bruscas nas políticas monetárias nos Estados Unidos e na zona do euro.

De acordo com relatório do banco, 92% dos indicadores proprietários de crescimento --que refletem análises da equipe de pesquisa global da instituição-- apontam sinais "bullish" (otimistas) ou neutros.

A porcentagem ronda esse nível desde dezembro passado e segue bem distante de uma mínima de 14% registrada em abril de 2020, quando o mundo enfrentava os fortes impactos iniciais da pandemia de Covid-19.

A trajetória ascendente, segundo os analistas do BofA, deve continuar. Nesse ambiente, as recomendações são de compra de ações de valor, cíclicas, commodities e small-caps.

"A história sugere que as chances são a favor de que isso aconteça, visto que as expansões nos EUA tendem a durar mais do que as contrações", afirmaram, lembrando que, em média, os períodos de crescimento econômico nos EUA duram 65 meses, ou cinco anos e meio.

O BofA prevê que a economia global vai crescer 5,8% em 2021 e 4,5% em 2022, "substancialmente" acima da média de 3,5% dos últimos 20 anos. Os EUA devem mostrar forte crescimento de 7,0% e 5,5%, respectivamente.

O banco lembrou que a reversão de ciclos de expansão geralmente ocorre com mudanças na postura de bancos centrais de "dovish" (pró-estímulos) para "hawkish" (reticente a mais estímulos). Mas os estrategistas de juros da instituição não preveem "tapering" (redução de estímulos) até o próximo ano, com alta de juros ainda mais tardia --apenas no segundo semestre de 2023.

(Por José de Castro)