Mercado fechará em 13 mins
  • BOVESPA

    108.398,18
    -3.041,19 (-2,73%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.508,10
    -799,61 (-1,56%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,62
    -1,35 (-1,88%)
     
  • OURO

    1.762,70
    +11,30 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    43.697,68
    -3.950,85 (-8,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.087,93
    -46,45 (-4,09%)
     
  • S&P500

    4.345,30
    -87,69 (-1,98%)
     
  • DOW JONES

    33.878,90
    -705,98 (-2,04%)
     
  • FTSE

    6.903,91
    -59,73 (-0,86%)
     
  • HANG SENG

    24.099,14
    -821,62 (-3,30%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    14.919,75
    -406,25 (-2,65%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2728
    +0,0734 (+1,18%)
     

Otaviano Costa vai apresentar show de shopstreaming

·1 minuto de leitura

A pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) intensificou a cultura das lives. Ao mesmo tempo, impulsionou o e-commerce: dados do índice MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net) em parceria com o Neotrust | Movimento Compre & Confie, apontam que o crescimento acumulado do ano foi de 73,88%.

Até que algumas lojas, como Magalu e Americanas, combinaram os dois. O conceito, conhecido como shopstreaming ou live commerce, já é sucesso na China e tem se espalhado pelo mundo: vendedores apresentam os produtos ao vivo e o cliente pode comprá-los online durante a live. Assim, estimula-se a jornada do consumidor.

Para aproveitar o movimento, Otaviano Costa, apresentador e sócio da agência Family, se juntou à agência Bullet, de Fernando Figueiredo, e à RocketBank e criou a Pode Live Shop. Ela vai funcionar como um shopping center virtual que terá lives de vendas das mais variadas empresas aliadas a entretenimento.

Imagem: Reprodução/Canaltech/Captura de tela
Imagem: Reprodução/Canaltech/Captura de tela

Com investimento de R$ 800 mil, o negócio quer atrair companhias de diversos ramos. Segundo a agência, o formato, que pode ir de games a shows, é pensado “de acordo com o tipo de negócio de cada marca”. As transmissões devem começar ainda em setembro no site da marca.

Algumas startups, como Loopi e Mimo, atuam no segmento, que teve faturamento mundial estimado em US$ 129 bilhões em 2020 (111% a mais que em 2019, de acordo com a consultoria iiMedia). Costa destaca que a ideia é a evolução do modelo de negócio das lives. "Vamos atrair, entreter a audiência e vender, tudo numa única plataforma, com opções de pagamento, vantagens e interação com o público de cada marca.”

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos