Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.816,90
    -18,90 (-1,03%)
     
  • BTC-USD

    40.820,31
    +1.074,71 (+2,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1823
    +0,1418 (+2,35%)
     

Osmar Terra se reuniu ao menos 20 vezes com Bolsonaro em agendas oficiais

·3 minuto de leitura

O deputado federal e ex-ministro da Cidadania Osmar Terra (MDB-RS) se encontrou ao menos 20 vezes com o presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) em agendas oficiais durante a pandemia do coronavírus — em determinados momentos, as reuniões aconteciam mais de uma vez por mês, ou mesmo no mesmo dia. O parlamentar afirmou à CPI da Covid, no Senado, de que esses encontros seriam esporádicos. Ao ser perguntado pela comissão sobre a frequência com que se reunia com Bolsonaro, o deputado respondeu:

— Sei lá. Uma vez por mês, uma vez a cada 15 dias em alguns momentos. Eram encontros esporádicos. Eu me encontrei mais vezes com o presidente Michel Temer, quando já não era mais ministro, do que com o presidente Bolsonaro.

No entanto, só no mês de setembro de 2020, Terra e Bolsonaro se reuniram ao menos cinco vezes: nos dias 1º, 3, 8, 16 e 23. No dia 1º foram três reuniões: uma com o então ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto; e outras duas com médicos como Otávio Berwanger da Silva, do Hospital Albert Einstein, Alexandre Biasi Cavalcanti, do Hospital do Coração, e Ludhmila Hajjar, que foi convidada a ser ministra da Saúde.

Já na reunião do dia 8, o deputado e presidente se reuniram com representantes do “Médicos pela vida”, grupo defensor do uso da cloroquina no tratamento da Covid-19 — o que já foi comprovado ineficaz e que pode, com o uso excessivo da droga, causar consequências à saúde.

Em junho do ano passado, Terra esteve com Bolsonaro em três dias: 19, 23 e 30. No dia 19 foram quatro reuniões, uma primeiro sozinho com o presidente e outras três com Onyx Lorenzoni, na época ministro da Cidadania, e o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes.

À CPI, Terra também negou ter encontrado com o ex-assessor da Presidência da República Arthur Weintraub, apontado como um dos articuladores do suposto “gabinete paralelo”, que teria aconselhado Bolsonaro no combate à pandemia às margens do Ministério da Saúde.

— Olha, à exceção de um ou dois churrascos que teve lá no Clube do Congresso, em que, por acaso, ele estava lá junto, nenhum, nenhum. Foi o único... E encontrá-lo, às vezes, no gabinete do Presidente, quando ele entra e sai. Ele é assessor do Presidente... Era, né? — disse Terra, em resposta ao relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL).

Entretanto, um encontro entre o deputado e o ex-assessor da Presidência aparece nas buscas da agenda oficial de Arthur, irmão do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub. Porém, o conteúdo da reunião e quem esteve presente aparecem como restritos no site.

Assim como Arthur, Terra também é apontado como membro do “gabinete paralelo”. Em um vídeo de setembro do ano passado, entre Bolsonaro e membros do grupo, o deputado é chamado de “padrinho” por médicos defensores do uso da cloroquina, que o agradecem por ter promovido o encontro.

Veja a lista das vezes que Osmar Terra esteve com o presidente, de março de 2020 até agora:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos