Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    49.491,74
    +756,65 (+1,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Os melhores restaurantes japoneses no Rio

Fabio Codeço
·6 minuto de leitura

O primeiro restaurante japonês de que se tem notícia no Rio data de 1939. Batizado de Shujyu Na, ficava em São Conrado e chamava atenção pela decoração típica, com direito a jardim, ponte e chafariz em estilo oriental. De lá para cá, muito shoyu rolou sobre as mesas e a tão tradicional culinária do país, então restrita à comunidade nipônica, foi sofrendo mutações e conquistando o paladar carioca. Pratos típicos ganharam insumos daqui, resultando numa cozinha com um pé no país do sol nascente, mas moldada ao gosto local – e dá-lhe cream cheese!

Hoje é possível se jogar num farto rodízio, comer sushi com azeite trufado – por que não? –, provar o gostinho dos típicos botecos japas (os izakayas) e até viver uma experiência próxima ao que se teria num autêntico restaurante em Tóquio. A seguir, um roteiro para fazer salivar os sushimaníacos. É só sacar os hashis e... kampai!

Tradicionais

Azumi

Porto seguro para quem aprecia a tradicional culinária japonesa, a casa serve novo cardápio, mais enxuto e acessível. Bowls de arroz com diferentes toppings garantem uma refeição. O de milanesa de porco com ovo e cebola sai a R$ 62. Sashimis podem ser solicitados em porções de sete (R$ 48), 15 (R$ 90) e 25 (R$ 145) unidades, mas Alissa Ohara, filha do fundador, também prepara omakasse (menu degustação à japonesa) com os insumos mais frescos do dia, a preços que variam de R$ 180 a R$ 400.

Copacabana:

Mitsuba

Famosa pela ótima variedade de peixes, a casa se mudou da Tijuca para o Leblon em março, mas veio a pandemia e ela só pôde receber os primeiros clientes em julho. Em espaço mais moderno e confortável que o do endereço original, segue servindo peças moldadas por Eduardo Nakahara, um dos mais respeitados sushimen do país. Entregue-se a ele, que oferece suas criações em combinados especiais que variam de R$ 102 (18 peças) a R$ 338 (72 peças).

Leblon:

Miako

Muito antes de sushis e sashimis se popularizarem por aqui, a casa, aberta em 1972, já servia sua clientela. Quem não dispensa um sashimi encontra salmão, atum e peixe branco (R$ 70, 12 peças), mas um aviso: o forte ali é a cozinha quente. Três saborosas versões de lámen incluem o tradicional, com caldo à base shoyu e pasta de peixe, omelete japonês, lombo suíno e macarrão japonês (R$ 52).

Botafogo:

Pop

Gurumê

Inaugurado em 2014 no Fashion Mall, o negócio logo se tornou um fenômeno de público e hoje espalha sua marca por Ipanema, Tijuca, Barra e Botafogo. O ambiente contemporâneo e as receitas com toques modernos estão entre as razões do sucesso. Responsável pelo sushi-bar, Daiti Ieda prepara especialidades como dupla de vieiras com flor de sal, azeite trufado e limão-siciliano (R$ 29). São novidade os sanduíches servidos no brioche com recheios como cavaquinha ao molho picante com alho-poró e cebola roxa (R$ 29).

São Conrado:

Haru Sushi

Apesar do ambiente acanhado, que se divide entre a entrada de um prédio comercial e um pedaço de calçada, a casa recebe clientela cativa, conquistada pela alta qualidade do que serve – na pandemia o número de pedidos no delivery até dobrou. Dos sashimis, dê atenção aos peixes menos batidos, como olhete (R$ 22) e serra (R$ 20). Em setembro foi inaugurado um aconchegante espaço com um balcão que recebe até seis comensais para menus degustação exclusivos (R$ 190 por pessoa).

Copacabana:

Sushimar

Criada em Paraty, a rede se estabeleceu no Rio, onde possui quatro unidades, incluindo um ponto exclusivo para delivery. Clientes de longa data costumam abrir os trabalhos com harumaki de camarão com catupiry e alho-poró (R$ 27, duas unidades). Pedida original, o avocado é um sushi de salmão prensado com lâminas de abacate e couve crocante (R$ 22, a dupla). Um menu de pratos especiais oferece salada vietnamita, de folhas, cenoura, cebola roxa, broto de feijão, hortelã, tiras de frango crocantes e molho picante (R$ 49).

Gávea:

Togu

Participante do reality “Mestre do sabor”, a chef Ana Zambelli é a responsável pela ala mais contemporânea do cardápio. Entre suas receitas, renovadas de tempos em tempos, estão o gyosa de confit de pato com edamame (soja verde), jambu e kinkan (tipo de laranja asiática), servido com geleia de pimenta (R$ 41). Os pratos principais também permitem ir além do básico. Um exemplo é o cherne com palmito pupunha, bok shoy (acelga chinesa), molho de limão-siciliano tostado e tempura de shiso (R$ 68).

Leblon:

Ko ba Izakaya

Sócios do Pabu Izakaya, no Leblon, comandam esse outro izakaya que funciona em cima da steak house Maria e o Boi. Acomodados no balcão em U, os clientes saboreiam pedidas como ussuzukuri (o carpaccio japonês) de vieiras por R$ 36, e sushis criados pelo chef com os peixes do dia a R$ 58 (cinco unidades) ou R$ 89 (nove unidades). Recém-chegado ao cardápio, o bibimbap de costela (R$ 39) reúne no bowl a carne desfiada em molho picante, kimchi, legumes, arroz japonês e gema.

Ipanema:

San Izakaya

Uma grande variedade de sushis compõe o farto cardápio. Duas sugestões que acabam de estrear são: vieira batida na ponta da faca, gema de codorna bottarga e limão caviar enrolados em alga (R$ 33) e centolla (caranguejo gigante), alga wakame e pérola de shoyu envoltos em atum (R$ 28), ambos servidos em dupla. A cozinha prepara pratos e quitutes como a asinha de frango crocante ao molho teriyaki (R$ 21), um clássico dos botequins japoneses.

Leblon:

Sofisticados

Naga

Raul Ono comanda os trabalhos no confortável balcão de madeira clara, onde se provam duplas como a de sushi de arenque (R$ 19), uma raridade. Opção da cozinha, a merluza negra marinada por 48 horas na pasta de missô (R$ 115) chega deliciosamente caramelada. Uma boa-nova: às vésperas da pandemia, a varanda ganhou um bar com drinques assinados pela premiada mixologista Jéssica Sanchez.

Barra da Tijuca:

Sushi Leblon

Mais badalado japa da cidade, a casa na Dias Ferreira é conhecida pela lista interminável de celebridades que já passaram por seu salão. E por ter trazido modernidade à cozinha japonesa do Rio há mais de três décadas. A dupla de sushi de ovo de codorna com azeite trufado e flor de sal (R$ 26) é campeã de pedidos. Outra dica traz tempura de camarão VG no recheio do makimono coberto por abacate e temperado com maionese picante (R$ 49, oito unidades).

Leblon:

Shiso

Sob o comando da argentina de ascendência asiática Miriam Moriyama, o lugar tem um salão elegante. Comece pelos robatayakis, espetinhos preparados na brasa e servidos em dupla em opções como lombo de salmão, cebolinha e molho tarê (R$ 23). O combinado de 32 peças (R$ 198) inclui sashimis e sushis variados, como o enrolado de camarão com salmão, massagô (ovas de capelim) e pepino.

Barra da Tijuca:

Nikkei

Chan Chan Cozinha Nikkei

Carioca filho de pai peruano, Ivan Lee investe na culinária nikkei – típica do Peru, ela mescla tradições locais à cozinha japonesa – neste recém-inaugurado restaurante. No segundo piso do Ipanema Harbor, tem uma agradável área externa. Quatro combinados permitem uma mostra das especialidades locais. O Ishikawa, de 35 peças, custa R$ 89. Ou opte pelo combo de nigiri zushi nikkei (R$ 39), seis diferentes duplas de sushi criadas na hora, a exemplo do de lula temperado com molho de tamarindo.

Ipanema:

Páru Inkas Sushi & Grill

Filial da rede internacional, a casa serve criações como o makimono acevichado, um enrolado de arroz com camarão empanado, abacate e atum finalizado com molho de ceviche (R$ 42, dez unidades). Da ala quente, prove o risoto de quinoa com aspargos grelhados e camarão empanado em flocos de arroz (R$ 72). E, na sobremesa, o típico suspiro limeño, com leite condensado, leite vaporizado e merengue queimado no maçarico (R$ 21).

São Conrado: