Mercado fechado

Os 5 filmes mais polêmicos já feitos com a temática cristã

Rafael Monteiro
·3 minutos de leitura
A Paixão de Cristo, Porta dos Fundos, Ben Affleck... Os filmes que mais irritaram os cristãos (reprodução)
A Paixão de Cristo, Porta dos Fundos, Ben Affleck... Os filmes que mais irritaram os cristãos (reprodução)

As religiões cristãs são um vespeiro no cinema. Quem se atreve a mexer com elas em filmes costuma sofrer com muitos protestos (e claro, em compensação, acaba ganhando muita visibilidade por promover debates sensíveis na sociedade).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Abaixo, relembramos alguns dos filmes com a temática que se destacaram pelo barulho causado. Entre as seguintes obras polêmicas, qual é a sua favorita? Se for compartilhar, cuidado com a repercussão nos comentários...

Leia também

A Paixão de Cristo

O filme de Mel Gibson causou polêmica por mostrar cenas explícitas de tortura sofridas por Jesus Cristo antes da sua morte. Além das imagens fortes, comparadas na época as de filmes de terror, o cineasta ainda foi acusado (novamente) de antissemitismo por causa da representação do sacerdote Caifás, interpretado por Mattia Sbragia - os judeus entenderam durante a sessão que acabaram ficando com a maior parte da culpa pela crucificação de Jesus. Vale lembrar que o longa também é lembrado pelos estranhos incidentes nos bastidores.

Eu vos saúdo, Maria

Jean Luc-Godard causou polêmica ao mostrar retratar Maria, mãe de Jesus, como uma mulher do século XX. Lançado em 1985, o filme foi abertamente censurado no Brasil - até por contar muitas cenas de nudez explícita da personagem bíblica. Na época, o presidente José Sarney considerou o enredo da obra uma afronta à fé cristã e conseguiu impedir a sua exibição nas salas do cinema. A ação do governo gerou protestos de artistas e até uma menção na música “Eduardo e Mônica”, do Legião Urbana (este era o tal "filme do Godard"). Como contou o jornalista Mário Magalhães, Eu Vou Saúdo, Maria causou até uma rixa entre Roberto Carlos e Caetano Veloso: o primeiro chegou a até parabenizar Sarney pela censura com um telegrama. "Vamos manter uma atitude de repúdio ao veto e de desprezo aos hipócritas e pusilânimes que o apoiam", reagiu Caetano em coluna no jornal Folha de S.Paulo.

A Primeira Tentação de Cristo

O especial da Netflix foi lançado em 2019, mas segue fazendo barulho no Brasil. Mostrando o relacionamento amoroso entre Jesus (Gregorio Duvivier) e um personagem fictício Orlando (Fábio Porchat), a obra foi acusada de ofender os cristãos - os criadores se defendem apontando homofobia nas críticas. O longa fez até a Porta dos Fundos ser alvo de um atentado terrorista na véspera de Natal no ano passado: um grupo atirou coquetéis molotov contra a sede da produtora, no bairro Humaitá, na capital fluminense.

Dogma

O filme de Kevin Smith apresenta Ben Affleck e Matt Damon como dois anjos expulsos do paraíso, tentando viver no estado de Wisconsin, nos Estados Unidos. Além de satirizar diversos dogmas católicos, a obra é lembrada pelos bastidores conturbados, com grupos de religiosos protestando perto da casa do cineasta.

A Vida de Brian

Contando a história de um homem que é confundido com Jesus Cristo, a clássica comédia chegou a ser proibida por supostamente zombar das religiões cristãs na Irlanda e na Noruega. A cena final da crucificação foi a que me incomodou as lideranças espirituais - e hoje é lembrada como o momento célebre do filme.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube