Mercado abrirá em 5 h 37 min

Os 15 melhores filmes de 2022

Depois de dois anos muito afetados pela pandemia da covid-19, o cinema parece finalmente ter voltado ao seu fluxo normal em 2022. Os estúdios trouxeram um cronograma bastante consistente de lançamentos e o público se sentiu cada vez mais motivado a retornar às salas. E o resultado foi uma quantidade colossal de grandes estreias chegando de janeiro a dezembro.

Ao mesmo tempo, vimos também um amadurecimento enorme das produções exclusivas do streaming, com Netflix, Prime Video e HBO Max apostando pesado em títulos que não devem em nada para aquelas que chegaram às telonas.

Assim, seja no cinema ou em casa, os fãs de boas histórias não tiveram do que reclamar. Seja com tramas mais contidas ou que expandem universos fantásticos, não faltaram motivos para fazer os cinéfilos sorrirem.

E para ajudá-lo a elencar os seus possíveis favoritos de 2022 ou mesmo para listar algum longa que você possa ter perdido em meio a essa avalanche de estreias, o Canaltech listou 15 dos melhores filmes lançados em 2022.

15. Pearl

Começamos nossa lista com um filme de terror para mostrar como o gênero se destacou ao longo de 2022. De Pânico 5 ao novato Noites Brutais, não faltaram boas razões para o público sentir medo. Contudo, de tudo o que o estilo ofereceu neste ano assustador, poucas coisas se destacam tanto quanto Pearl.

O filme é um slasher que chama a atenção por uma série de motivos. O longa foca na história bastante perturbadora sobre uma jovem que sonha em ser uma estrela de cinema que, isolada em uma fazendo no interior do Texas, começa a enlouquecer e a deixar um rastro de sangue. Só que o que realmente intriga nessa trama é como ela se conecta com outro filme que também chegou em 2022: X – A Marca da Morte.

Essa costura funciona muito bem e constrói muito bem um universo sombrio e instigante que nos faz voltar àqueles personagens mesmo sabendo o quanto eles vão nos afetar. Mérito total do diretor Ti West, que já se provou um dos grandes nomes dessa nova geração de cineastas de horror.

14. Elvis

É estranho pensar que demorou tanto tempo para que Hollywood decidisse fazer um filme contando a história de um ícone como Elvis Presley. Só que a espera valeu a pena e Elvis chega com toda a pompa e elegância que o Rei do Rock exige.

O filme estrelado por Austin Butler impressiona principalmente pela caracterização. O jovem ator se transforma de fato no cantor e impressiona com o quão idêntico ao astro ele se torna. Da mesma forma, também chama a atenção o quanto Tom Hanks está irreconhecível no papel de Tom Parker, o empresário do artista.

Adicione a tudo isso uma bela direção de Baz Luhrmann e temos uma bela biografia que apresenta os altos e baixos da vida de Presley, assim como destaca a importância da sua imagem para a cultura pop até hoje.

13. Avatar: O Caminho da Água

Foram 13 anos de espera por essa sequência e Avatar: O Caminho da Água não decepciona nem por um segundo. Mesmo com uma história bastante simples e sem grandes surpresas, o longa é um espetáculo visual como há muito tempo não víamos — prova de que o diretor James Cameron segue sendo a grande referência quando o assunto é tecnologia cinematográfica.

Desta vez, ele leva os seus alienígenas azuis para os mares do planeta Pandora e aposta no desbunde visual que é esse novo ecossistema. Além de explorar toda a cultura desse novo povo, temos os cenários submarinos incríveis e uma demonstração da nova tecnologia de filmagem embaixo d’água que Cameron desenvolveu só para o filme.

12. A Mulher Rei

Uma das grandes surpresas do ano, Mulher Rei chegou para mostrar como Viola Davis é uma das maiores atrizes da atualidade ao mesmo tempo em que dá luz a uma daquelas histórias necessárias que foram apagadas ao longo do tempo.

O filme centra sua trama na general de um grupo de mulheres-guerreiras que lutam para defender o Reino de Daomé contra as invasões das tribos vizinhas e dos colonizadores. O resultado é um roteiro forte, com personagens incríveis e que têm muito a dizer até hoje.

11. O Menu

Em 2022, a atriz Anya Taylor-Joy seguiu em alta e O Menu é um dos belos exemplos de como a jovem segue escolhendo muito bem as produções em que vai aparecer. O longa de Mark Mylod conta com um elenco incrível que ainda tem Ralph Fiennes e Nicholas Hoult e que entrega ótimas interpretações, um excelente texto e tudo isso a partir de uma premissa bem simples.

A história gira em torno de um casal que vai a um restaurante de um aclamado chef em uma ilha remota em busca de uma experiência gastronômica única. Só que, a partir disso, as coisas se desenrolam de formas bastante inesperadas e de uma forma deliciosa — ao menos para nós.

10. O Desconhecido

Uma das grandes estreias da Netflix em 2022, O Desconhecido chegou sem muito alarde e logo se tornou um dos filmes mais assistidos da plataforma. Tudo graças à sua impressionante história baseada em fatos reais.

O longa conta a história de um policial que se disfarça e cria uma conexão intensa com um suspeito de assassinato, tudo para arrancar um confissão do criminoso. A sinopse é um pouco genérica, mas o que realmente importa é que ele é inspirado no desaparecimento de um garoto na Austrália em 2003 e em todos os desdobramentos do caso.

Só que o verdadeiro mérito está no modo como o roteiro adapta esse episódio e no peso que cada um dos atores dá aos personagens, fazendo com que toda a investigação e a busca pela verdade sejam tensas do começo ao fim.

9. Pantera Negra: Wakanda para Sempre

Vamos combinar que o Universo Cinematográfico da Marvel (MCU, na sigla em inglês) não foi tão inspirado neste ano. Contudo, entre as derrapadas de Thor: Amor e Trovão e Doutor Estranho no Multiverso da Loucura, Pantera Negra: Wakanda para Sempre entrega não só um excelente filme e gancho para o futuro como também uma belíssima homenagem a Chadwick Boseman.

Havia uma curiosidade enorme sobre o modo como o estúdio iria lidar a perda do ator e o resultado final conseguiu dar continuidade ao personagem ao mesmo tempo em que faz um belíssimo tributo a Boseman e seu legado.

8. O Homem do Norte

Robert Eggers já havia entregado duas joias recentes do cinema com A Bruxa e O Farol — o que fez com que a expectativa em torno de O Homem do Norte fosse imensa. E ele não só atendeu a esse hype como ainda conseguiu superá-lo ao apresentar uma das melhores histórias de vikings que já vimos nas telas até hoje.

Com Alexander Skarsgård, Anya Taylor-Joy (de novo), Nicole Kidman e Ethan Hawke no elenco, ele reconta o mito que vai inspirar Shakespeare a escrever Hamlet e traz uma recriação bastante precisa da cultura nórdica. Sem cair nos clichês, ele recria todos os costumes, crenças e tradições de um jeito tão único e, ainda assim, entrega uma jornada de vingança tão incrível que você sair querendo embarcar em algo igual.

7. Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo

O multiverso foi o grande conceito do ano. Só que, enquanto a Marvel dividia a opinião do público com Doutor Estranho no Multiverso da Loucura, Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo apresentou um jeito muito particular de brincar com a ideia de realidades diferentes e entregou uma das principais surpresas de 2022.

Estrelado por Michelle Yeoh, ele conta a história dessa heroína que se vê em meio a uma ruptura entre essas várias dimensões e precisa dar um jeito de resolver esse problema antes que a existência seja comprometida. Mas o grande diferencial está justamente no modo criativo com que a trama explora as maluquices que a proposta oferece.

6. Não, Não Olhe

Outro diretor que retornou em grande estilo em 2022 foi Jordan Peele, autor de Corra! e Nós. E, com Não, Não Olhe, ele deixa de lado um pouco a crítica social e traz um olhar para o cinema e a indústria do espetáculo — mas de um jeito que somente ele sabe fazer.

Para isso, o cineasta brinca com a estética de filme de terror e o mistura com histórias de alienígena e ainda insere referências e brincadeiras com séries clássicas e até animes. É uma salada incomum, mas que funciona muito bem na hora de falar sobre esse monstro que nos devora sempre que olhamos para ele.

5. Ruído Branco

Depois do sucesso de História de um Casamento, era óbvio que a Netflix iria apostar em uma nova produção de Noah Baumbach. E o diretor trouxe nada menos do que a adaptação de um dos maiores clássicos da literatura americana do final do século XX para dar suas cutucadas na sociedade ao mesmo tempo em que trata sobre os demônios que nos assolam no dia a dia.

Parece confuso, mas é justamente essa a intenção de Ruído Branco. Com um Adam Driver quase irreconhecível no papel principal, o filme satiriza a sociedade americana e o seu apego com o capitalismo ao mesmo tempo em que explora as cicatrizes deixadas pela pandemia em cada um de nós. E tudo isso em uma história que oscila entre o drama introspectivo e a comédia bizarra. Uma verdadeira cacofonia deliciosa de se ouvir.

4. The Batman

Chega a soar redundante que um filme do Homem-Morcego foi sucesso, mas The Batman mostrou o quanto o herói ainda tem muito a oferecer aos fãs. Apesar de toda a desconfiança em torno de sua produção e da escolha de Robert Pattinson para o papel principal, o longa de Matt Reeves trouxe uma nova faceta do personagem e ainda deixou claro por que o Cavaleiro das Trevas representa bem essa figura heróica mesmo com todas as suas contradições.

Ao ambientar a trama nos primeiros anos do Batman como vigilante de Gotham, encontramos um Bruce Wayne muito mais introspectivo e até perturbado que ainda não entendeu o seu papel na cidade. E é com o surgimento de um vilão como o Charada (Paul Dano) é que ele tem uma visão bem mais clara de quem ele realmente é e o que pode vir a ser.

3. Pinóquio de Guillermo del Toro

É muito difícil que essas reimaginações de grandes clássicos funcionem, mas a versão de Pinóquio de Guillermo del Toro é um belíssimo ponto fora da curva. Embora a história contada pela Disney esteja gravada em nosso imaginário, o diretor trouxe um olhar bastante próprio para o conto do boneco que queria ser um menino de verdade que funciona muito bem — melhor até do que o remake feito para o Disney+.

Totalmente em stop-motion e com um visual bem particular, o longa da Netflix atualiza o roteiro que todo mundo conhece ao mesmo tempo em que adiciona novos elementos que se encaixa muito bem no tom mágico que o cineasta oferece.

2. Nada de Novo no Front

Outro clássico que ganhou uma nova versão em 2022, Nada de Novo no Front renova a mensagem antiguerra do livro de 1929 e mostra como, quase um século depois, as coisas pouco mudaram. Ainda temos uma visão idealizada do que é ir para o campo de batalha do mesmo modo que há um descaso enorme por quem está morrendo em meio à lama, ao sangue e à merda.

Coincidência ou não, o fato de a estreia acontecer em um momento em que temos uma guerra acontecendo dá um peso ainda maior para o discurso que o longa alemão apresenta. É um filme pesado como um soco no estômago.

1. Top Gun: Maverick

Em um mundo pós-pandemia em que os estúdios foram obrigados a aceitarem bilheterias mais modestas, Top Gun: Maverick mostrou que uma boa história, personagens carismáticos e grandes cenas de ação ainda são garantia de sucesso e de bilhões de bilheteria.

O novo filme de Tom Cruise dá continuidade ao Top Gun original depois de mais de 30 anos e acerta em cheio não só em resgatar o clima da época, mas por ir além e mostrar como renovar esses conceitos e usar o saudosismo a seu favor para desenvolver tudo aquilo que a gente queria ver.

Não por acaso, Top Gun: Maverick foi a maior bilheteria de 2022 e um sucesso incontestável.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: