Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.611,65
    +1.322,47 (+1,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,02
    -571,03 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,55
    +0,94 (+1,09%)
     
  • OURO

    1.795,70
    +2,60 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    36.926,02
    +215,43 (+0,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    813,93
    -5,57 (-0,68%)
     
  • S&P500

    4.326,51
    -23,42 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.160,78
    -7,31 (-0,02%)
     
  • FTSE

    7.554,31
    +84,53 (+1,13%)
     
  • HANG SENG

    23.807,00
    -482,90 (-1,99%)
     
  • NIKKEI

    26.170,30
    -841,03 (-3,11%)
     
  • NASDAQ

    14.166,75
    +180,00 (+1,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0240
    -0,0824 (-1,35%)
     

Os 10 melhores jogos de 2021

·8 min de leitura

Mesmo com a pandemia de covid-19 atrasando o desenvolvimento de muitos jogos, 2021 ainda trouxe excelentes lançamentos para o mercado de games. A bem-vinda estreia do inventivo It Takes Two garantiu o prêmio de Jogo do Ano no The Game Awards, mas também fomos surpreendidos por títulos como Metroid Dread, UNSIGHTED, Marvel's Guardians of the Galaxy e outros.

A seguir, você confere os 10 melhores jogos de 2021 para consoles e PC, na opinião da redação de games do Canaltech — a lista está em ordem de lançamento, e não de preferência. Acha que algum título precisava estar na lista ou concorda com a nossa seleção? Compartilhe os seus jogos favoritos do ano conosco por meio das redes sociais!

10. It Takes Two (PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X|S, PC)

Por Lucas Arraz: "Mesmo sem os melhores gráficos do momento ou abusando das funcionalidades da nova geração, o novo jogo cooperativo da Hazelight Studios (A Way Out) é competente na hora de surpreender e divertir dois jogadores que estão no comando do conflituoso casal Cody e May. It Takes Two é um tributo aos videogames, que entrega uma variação na jogabilidade invejável, pouco vista antes. Os níveis têm diferentes atividades, obrigatórias e opcionais, além de uma riqueza de detalhes e profundidade. Os extensos mundos que servem de cenário simulam jogos de luta, de tiro, aventuras de plataforma e até um RPG isométrico como Diablo.

Tudo sempre fazendo os jogadores ficarem sem saber se avançam para descobrir qual será a mecânica da próxima fase, ou se exploram um pouco mais o mundo atual, na certeza de que nada daquilo será visto novamente no jogo. É com esse dinamismo de jogabilidade, brincando com a expectativa de quem joga, que It Takes Two cria um ambiente cooperativo capaz de desligar os jogadores e prendê-los na experiência mais primordial dos videogames: uma atividade surpreendente divertida."

9. Narita Boy (PS4, Xbox One, Xbox Series X|S, Nintendo Switch, PC)

Por Felipe Demartini: "A história altamente sentimental, misturada com elementos tecnológicos retro e uma trilha sonora incrível, foi a que mais me chamou a atenção neste ano. E olha que eu não sou um grande fã dos metroidvanias, gênero que o game de estreia dos espanhóis do Studio Koba tenta emular em meio a referências a Tron, Star Wars e muito mais.

A união entre misticismo e tecnologia, em um mundo virtual no qual o desenvolvedor é o Criador e suas histórias desde a infância guiam o destino dos personagens, nos coloca em um papel de salvador de tudo o que é digital. Envolvente, objetivo e menos apreciado do que deveria, Narita Boy é o melhor jogo de 2021 para mim."

8. Resident Evil Village (PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X|S, PC)

Por Felipe Goldenboy: "Na minha percepção, Resident Evil 7 ainda é melhor que Village por ser um produto mais coeso; porém, o jogo mais recente da franquia da Capcom é marcante pela ambientação impecável, pela história que conclui algumas pontas soltas e pelos personagens carismáticos. Afinal, o que falar da Lady Dimitrescu, talvez a personagem mais icônica dos games neste ano?

Arrisco dizer que Village, aliás, tem um dos desafios mais incríveis e ambiciosos de toda a franquia: a Casa Beneviento (quem jogou, sabe). Destaque também para a impecável localização em português do Brasil, que nos proporcionou o primeiro Resident Evil dublado no nosso idioma."

7. Guilty Gear -Strive- (PS4, PS5, PC)

Por Igor Pontes: "A Arc System Works vive um momento de glória. Depois do sucesso de Dragon Ball FighterZ em 2018, Guilty Gear -Strive- chegou para consolidar a desenvolvedora como uma das melhores do gênero de luta. Strive é, com certeza, um excelente ponto inicial para quem é um marinheiro de primeira viagem no universo da franquia. O jogo funciona como um reboot geral da história, então você pode embarcar no game sem problemas.

Entretanto, nós sabemos que jogos de luta não são conhecidos pela sua história, e sim se a pancadaria é de qualidade ou não. E sim: Guilty Gear -Strive- acerta e muito quando o assunto é luta. Com uma curva de aprendizado que permite ao jogador maximizar combos com uma certa facilidade, o jogo pode ser extremamente complexo para os mais habilidosos, mas ainda é satisfatório para os esmagadores de botão. Strive ainda tem um visual estiloso e bonito, com designs variados para os personagens."

6. Ratchet & Clank: Em Uma Outra Dimensão (PS5)

Por Guilherme Sommadossi: "Lançado em junho, Ratchet & Clank: Em Uma Outra Dimensão foi um dos jogos que mais mostrou do que o PS5 realmente é capaz. O jeito como o game usa o SSD para carregar os mapas rapidamente, os recursos do DualSense e do áudio 3D para simular absolutamente tudo que acontece na tela proporcionam uma ótima experiência.

A história é bem básica, então a diversão fica totalmente focada em enfrentar os inimigos e abrir as diferentes fendas temporais. Quem é dono de um PS5 deve jogá-lo assim que possível, seja fã de longa data da franquia ou não."

5. Psychonauts 2 (PS4, Xbox One, Xbox Series X|S, PC)

Por Felipe Goldenboy: "Psychonauts 2 foi uma das viagens mais loucas e psicodélicas que fiz jogando videogame. Além de ser uma evolução clara do primeiro jogo (afinal, são quase 15 anos de diferença), o título faz você gargalhar, se emocionar e se impressionar com cada detalhe, esteja o Razputin dentro ou fora da mente dos personagens.

Meu destaque vai para o instante em que ouvimos os votos de casamento entre dois homens. O jogo não faz questão de gritar aos quatro ventos que tem personagens gays — se você estiver desatento, talvez até perca o momento. Você não vê nada; apenas escuta as vozes emocionadas ao fundo com uma trilha sonora romântica. Tudo com muita delicadeza e, acima de tudo, naturalidade."

4. Metroid Dread (Nintendo Switch)

Por Durval Ramos: "É injusto dizer que Metroid Dread é um dos melhores jogos do ano apenas por trazer de volta a clássica franquia da Nintendo. O título é a prova de que um bom jogo deve se sustentar com base no que ele é e não apenas no histórico que carrega na bagagem — e Dread faz isso muito bem.

Sem se apegar ao saudosismo, o game abre os braços para veteranos e novatos em uma experiência que sabe dosar muito bem exploração, desafio e recompensa. Para isso, o estúdio MercurySteam atualizou a fórmula e entregou um metroidvania moderno e que é uma delícia de jogar. E, acima de tudo, mostrou que Samus continua em ótima forma."

3. Marvel's Guardians of the Galaxy (PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X|S, PC)

Por Bruna Penilhas: "Marvel's Guardians of the Galaxy foi uma das melhores surpresas do ano e uma das minhas experiências favoritas de 2021. Após o gosto bem amargo que Marvel's Avengers deixou, a Eidos Montreal conseguiu conquistar os fãs de super-heróis com o jogo single-player dos mercenários mais sarcásticos e encrenqueiros da galáxia.

O game dos Guardiões da Galáxia não é perfeito, mas traz uma narrativa bem amarrada com cenários deslumbrantes e um combate dinâmico, sendo possível controlar Peter Quill/Senhor das Estrelas e enviar comandos para o resto do grupo, formado por Gamora, Rocky, Drax e Groot. Foi o humor dos personagens que me conquistou do começo ao fim, rendendo momentos hilários com cada um deles. A trilha sonora também merece uma menção especial, porque ainda continuo escutando o álbum da Star-Lord diariamente. Agora, só me resta aguardar ansiosamente por uma possível sequência!"

2. UNSIGHTED (PS4, Xbox One, Nintendo Switch, PC)

Por Guilherme Sommadossi: "Ouso dizer que o indie brasileiro é um dos melhores já feitos em território nacional. Tiani e Fernanda, do estúdio Pixel Punk, fizeram um lindo trabalho ao criar um jogo com uma história sensível, em um cenário complexo (tanto de pandemia no país quanto na história do game), um mundo vivo e ótimas mecânicas de combate e exploração.

Uma das melhores características de UNSIGHTED é que os robôs NPCs (personagens não jogáveis) tem um tempo limitado de vida. Há como prolongar o tempo de algum deles, mas a forma como isso direciona o jogador na trama e o coloca em situações difíceis de escolha é um ótimo tempero emocional."

1. Forza Horizon 5 (Xbox One, Xbox Series X|S, PC)

Por Felipe Demartini: "Quem acompanha a franquia da Microsoft, desenvolvida pela Playground Games, sabe mais ou menos o que esperar. Forza Horizon 5 não decepciona e, ao mesmo tempo em que entrega exatamente aquilo que todos já conheciam da série, faz isso em um novo ambiente, com opções mais acessíveis e, principalmente, da forma mais bonita já vista até hoje.

O México parece o lugar perfeito para o tipo de jogabilidade que a desenvolvedora deseja entregar, misturando diferentes disciplinas e biomas. E por mais que eu prefira as corridas de pista, com um nível de simulação mais alto (como é o caso de Forza Motorsport), Forza Horizon 5 é daqueles jogos que vão ficar instalados no meu Xbox Series X por um bom tempo e ao qual eu retornarei sempre que quiser algo mais divertido e leve."

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos