Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.332,17
    -201,59 (-0,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Os 10 carros mais icônicos da Volkswagen

O Volkswagen Gol, ao lado do Voyage, teve sua produção oficialmente encerrada pela montadora alemã neste mês de dezembro e, em 2023, não será mais fabricado. Com isso, o hatch que reinou no País durante mais de quatro décadas entrou para um seleto grupo de carros mais icônicos da marca, não apenas dentro, mas também fora do Brasil.

Por conta da aposentadoria da dupla, o Canaltech resolveu juntar em uma lista os 10 carros mais icônicos da Volkswagen em todos os tempos. Alguns deles sequer chegaram a rodar por aqui, mas são lembrados até hoje pelos meios de comunicação especializados como carros que marcaram época em seus países.

Alerta de spoiler: Karmann-Ghia está na lista de 10 carros icônicos que mostraremos a seguir (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
Alerta de spoiler: Karmann-Ghia está na lista de 10 carros icônicos que mostraremos a seguir (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

10. Fusca (Beetle)

Quarto carro mais vendido do mundo em todos os tempos, o Fusca, ou Beetle, como é chamado fora do Brasil, abre a lista dos 10 carros icônicos da história da Volkswagen. E ele marcou tanta presença que virou até estrela de filme de Hollywood, na eterna franquia Herbie, Se Meu Fusca Falasse.

O Fusca teve mais de 24 milhões de unidades vendidas entre 1938 e 2019, ano em que o último New Beetle saiu da planta situada na cidade de Puebla, no México. Foram três gerações, todas muito bem recebidas pelo público nos quatro cantos do planeta.

O Fusca original saiu de linha porque passou a ser considerado obsoleto, e o New Beetle, apesar das boas vendas, era caro no comparativo com os rivais diretos e mais modernos.

Volkswagen Fusca e o chamado New Beetle lado a lado: gerações distintas, mas mesmo sucesso (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
Volkswagen Fusca e o chamado New Beetle lado a lado: gerações distintas, mas mesmo sucesso (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

9. Golf

O Volkswagen Golf nasceu em 1974 justamente como derivado do Fusca. Depois de rodar a Europa em diversas gerações, chegou ao Brasil em 1999 e, até 2020, quando parou de ser fabricado e vendido por aqui, acumulou números impressionantes.

O Golf teve mais de 35 milhões de unidades vendidas na história, e a versão GTI, a mais esportiva de todas, elevou a marca a um outro patamar. O primeiro Golf GTi foi lançado em 1975, no Salão do Automóvel de Frankfurt, e impressionou por acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 9 segundos.

Volkswagen Golf também passou por diversas mudanças, mas sem perder o charme que o fez um modelo icônico (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
Volkswagen Golf também passou por diversas mudanças, mas sem perder o charme que o fez um modelo icônico (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

8. Kombi

O oitavo posto em nossa lista de 10 carros icônicos da Volkswagen vai para outro modelo bastante conhecido aqui no Brasil. A Kombi foi considerada pela própria marca alemã como símbolo da fabricante na década de 1960.

No Brasil, o modelo, também chamado de "Corujinha", deixou de ser produzido em sua geração a combustão em dezembro de 2013. O principal motivo foi a mudança na lei, que passou a exigir dos carros a obrigação da instalação de freios ABS e de airbag duplo.

A Kombi “ressuscitou” recentemente, em uma versão totalmente nova, tanto em design quanto em tecnologia. O novo modelo é 100% elétrico e um preço compatível com toda a modernidade que cerca a chamada ID.Buzz.

ID.Buzz (à esquerda) e a chamada Corujinha: duas gerações da Kombi (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
ID.Buzz (à esquerda) e a chamada Corujinha: duas gerações da Kombi (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

7. Scirocco

Chegamos, enfim, a um dos 10 carros icônicos da Volkswagen que não foram lançados no Brasil. O Scirocco chegou a ser cogitado por aqui pouco antes de ser aposentado, mas problemas na fábrica da Argentina, onde seria produzido, acabaram inviabilizando o plano da montadora alemã.

O coupé, que visualmente lembrava muito o Passat, teve três gerações distintas em seus 43 anos de vida. A primeira delas foi baseada na plataforma do Golf e ficou no mercado internacional entre 1974 e 1981. A segunda, com algumas atualizações, foi vendida até 1992, enquanto a terceira e última ressurgiu em 2008 e ficou menos de uma década nas ruas, saindo definitivamente de linha em 2017.

Segunda geração do Scirocco era um misto de Passat com Voyage (Imagem: More Cars from Berlin/Wikipedia/CC)
Segunda geração do Scirocco era um misto de Passat com Voyage (Imagem: More Cars from Berlin/Wikipedia/CC)

6. Karmann-Ghia

O Karmann–Ghia foi nosso escolhido para ocupar o sexto lugar entre os 10 carros mais icônicos da história da Volkswagen. O modelo foi lançado em 1962 e era considerado um coupê de interior requintado, inicialmente pensado para substituir o Fusca.

Dotado de motor 1.200 com 30 cavalos de potência, ganhou uma versão com motor 1.500 em 1967, quando passou a oferecer 44 cv ao condutor. O Karmann-Ghia teve ainda mais duas variantes, uma com motor 1.600 e 60 cavalos e outra com potência de 65 cv, chamada de Karmann-Ghia TC, uma imitação brasileira do Porsche.

Volkswagen Karmann-Ghia nasceu para substituir o Fusca, mas dividiu espaço com o outro ícone (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
Volkswagen Karmann-Ghia nasceu para substituir o Fusca, mas dividiu espaço com o outro ícone (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

5. Passat

Carro de origem alemã que inspirou a criação do Gol no Brasil, o Passat fez sucesso dentro e fora do País, e até hoje é exibido com orgulho por colecionadores e restauradores de carros antigos que conseguem o privilégio de colocar as mãos em uma unidade deste carro que teve oito gerações entre 1973 e 2021.

O carro foi construído em três plataformas distintas (hatch, sedan e station wagon), todas sempre unindo design atraente, boa motorização e desempenho, como a variante TS, da foto abaixo. E por que o Passat foi tirado de linha pela Volkswagen? Por conta do crescimento do interesse do público por um novo tipo de carro, os chamados SUVs.

Volkswagen Passat TS fez sucesso na década de 1970 (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
Volkswagen Passat TS fez sucesso na década de 1970 (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

4. Variant

Chegamos ao quarto lugar entre os 10 carros mais icônicos da Volkswagen com mais um modelo que passou por várias transformações ao longo dos anos e, hoje, não está mais entre nós. Estamos falando da Variant.

A Variant foi escolhida para integrar este seleto grupo por ter sido a primeira perua a ser lançada no Brasil, no final da década de 1960. Ela ficou em atividade no País até meados da década de 1970, quando passou a perder mercado para outro modelo da própria marca, a Brasília. A chegada de concorrentes como o Ford Corcel, na mesma época, também acelerou a saída definitiva de cena.

Primeiro carro tipo perua lançado no Brasil, Variant fez sucesso com famílias (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
Primeiro carro tipo perua lançado no Brasil, Variant fez sucesso com famílias (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

3. Brasília

Uma estrela da música não pode ficar de fora do pódio entre os 10 carros mais icônicos da Volkswagen, não é mesmo? Estamos falando da Brasília Amarela, ou melhor, da Brasília, carro que ficou imortalizado por fazer parte da letra da canção Pelados em Santos, do Grupo Mamonas Assassinas, lançada em 1995 e que se tornou a terceira mais tocada nas rádios do País naquele ano.

A Brasília (amarela ou não) foi lançada pela Volkswagen em 1973, a pedido do próprio presidente da montadora no Brasil, Rudolph Leiding, que desejava ver no País um modelo compacto popular desenvolvido na mesma plataforma do Fusca (e mais moderno que a Variant).

Na época do lançamento, a Brasília contava com um motor de 1.6 litros refrigerado a ar e com 4 cilindros, que dava ao motorista uma potência de 60 cavalos. A força era capaz de empurrar o carro de 0 a 100 km/h em 23 segundos, uma eternidade para os dias atuais, mas um feito impressionante para o momento em que surgiu no mercado.

O modelo começou a sofrer alterações para se modernizar e ficar mais potente, como a adoção de um sistema com dois carburadores, que elevou sua potência para 65 cavalos. Em 1976, ganhou a primeira versão com 4 portas, que chegou a ser exportada para Nigéria e Filipinas.

A Brasília se despediu do mercado em 1982, com mais de 1 milhão de unidades vendidas.

Volkswagen Brasília foi um sucesso, mas saiu de linha em 1982 (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
Volkswagen Brasília foi um sucesso, mas saiu de linha em 1982 (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

2. 1600 TL

O penúltimo carro separado pela reportagem do Canaltech é o 1600 TL. Ele também é considerado um ícone por ter formado, ao lado do Fusca e da Kombi, o tripé de força da Volkswagen no Brasil até o lançamento do Passat por aqui, por volta de 1974.

O Volkswagen 1600 TL era bastante popular no Brasil, e suas formas retangulares deram ao valente representante alemão um apelido bastante peculiar: “Zé do Caixão”. Também chamado de "Fusca de 4 portas", tinha motor 1600 (obviamente) de 4 cilindros refrigerado a ar e câmbio manual de 4 marchas. Saiu de linha em 1975.

Volkswagen TL 1600 é um dos 10 carros icônicos da Volkswagen (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
Volkswagen TL 1600 é um dos 10 carros icônicos da Volkswagen (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

1. Gol e Voyage

Vamos fechar a lista de 10 carros icônicos da Volkswagen não com um, mas com dois modelos que nasceram praticamente juntos, e também se despediram do mercado de mãos dadas: os já citados Gol e Voyage.

O hatch, lançado em 1980, dominou o mercado por 27 anos consecutivos, teve oito gerações distintas, além de diversas séries especiais. Foi, inclusive, o primeiro carro do Brasil a adotar a tecnologia de injeção eletrônica, no modelo GTI de 1988.

Gol GTI introduziu tecnologia da injeção eletrônica nos carros do País (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
Gol GTI introduziu tecnologia da injeção eletrônica nos carros do País (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

O sedan, derivado do Gol, também deixou um legado marcante desde que apareceu pela primeira vez, em maio de 1981. O "irmão do Gol" tinha motor 1.5 e apenas duas portas. Foi apenas com as versões atualizadas que o carro ganhou um novo design e passou a oferecer a variante com quatro portas.

A última versão à venda do Voyage, que sairá do mercado assim que acabarem os estoques, tem sob o capô o motor três cilindros 1.0, que entrega 84 cv de potência e 10,4 kgfm de torque quando abastecido com etanol. Ao rodar com gasolina, a potência cai para 75 cavalos e o torque é reduzido para 9,7 kgfm. O propulsor trabalha em conjunto com um câmbio manual de cinco marchas.

Voyage tinha "cara" de Gol, e não à toa, pois era o sedan do hatch recém-lançado (Imagem: Divulgação/Volkswagen)
Voyage tinha "cara" de Gol, e não à toa, pois era o sedan do hatch recém-lançado (Imagem: Divulgação/Volkswagen)

E aí, o que acharam, canaltechers? Lembram de mais algum carro icônico da Volkswagen? Comente conosco em nossas redes sociais, caso tenhamos nos esquecido de algum.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: