Mercado abrirá em 2 h 48 min
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,45
    +0,44 (+0,61%)
     
  • OURO

    1.794,70
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    16.836,38
    +22,09 (+0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,41
    -6,62 (-1,65%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.481,20
    -7,99 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.537,00
    +27,50 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4745
    +0,0081 (+0,15%)
     

Orion-E contrata WEG para construção e operação de usinas solares

Painéis solares

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de infraestrutura energética Orion-E disse nesta segunda-feira que contratou a WEG como fornecedora de serviços para suas usinas de energia solar no Brasil, um movimento importante para a expansão do negócio.

"Esse acordo com a WEG nos dá a capilaridade e a segurança necessárias na entrega de mais de 200 usinas que pretendemos pôr de pé nos próximos dois anos", disse em nota o diretor operacional da Orion-E, Marco Aurélio Araújo.

A Orion-E não divulga o tamanho de seu portfólio já operacional, mas prevê chegar a 1 gigawatt (GW) de potência nos próximos dois anos.

Pelo acordo, a WEG assume como "full EPCista" de todo o portfólio de usinas solares da Orion-E, ficando responsável por todas as etapas de construção das usinas, da importação à montagem dos equipamentos, e pela operação e manutenção (O&M) dos ativos.

O valor do acordo entre as empresas não foi divulgado.

A Orion-E busca atuar em "lacunas" do mercado de energia solar, focando no desenvolvimento dos projetos, validação da parte técnica e estruturação financeira. Sua atuação compreende tanto o segmento solar de grande porte (geração centralizada) quanto de pequeno porte (geração distribuída).

Recentemente, a Orion-E assinou um contrato com a comercializadora Bolt Energy para 500 MW em usinas solares de geração distribuída, o que deve exigir cerca de 3,2 bilhões de reais em investimentos.

(Por Letícia Fucuchima)