Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    61.247,45
    +245,37 (+0,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Organização de Tóquio-2020 se inclina para Jogos sem espectadores estrangeiros

·2 minuto de leitura
Autoridades temem que a presença de visitantes estrangeiros para os Jogos aumento o risco para a população japonesa

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, previstos para acontecer de 23 de julho a 8 de agosto, se inclina para determinar a ausência de espectadores procedentes do exterior, informou a imprensa japonesa nesta quinta-feira, mas a decisão final será adotada no fim de março.

O governo japonês, a cidade de Tóquio e o Comitê Organizador se inclinam pela celebração do evento apenas com o público local, segundo vários meios de comunicação, incluindo o jornal Yomiuri.

As autoridades temem que o fluxo de visitantes estrangeiros coloque em perigo a população japonesa, muito hesitante a respeito da celebração dos Jogos.

"Como a propagação do coronavírus prossegue em todo o país, decidiram que autorizar a entrada de visitantes estrangeiros em larga escala apenas aumentaria a ansiedade da população", afirma o Yomiuri.

A segurança dos japoneses é a "prioridade", declarou na quarta-feira a presidente do Comitê Organizador, Seiko Hashimoto, após uma reunião com funcionários do Comitê Olímpico Internacional (COI), do governo japonês e da cidade de Tóquio.

Todas as partes concordaram em adotar uma decisão até o fim do mês, provavelmente antes do início do revezamento da tocha olímpica, marcado para 25 de março.

Mas as declarações dos participantes da reunião de quarta-feira sugerem que não serão autorizados torcedores de fora do país.

O presidente do COI, Thomas Bach, declarou que os organizadores devem se concentrar no essencial dos Jogos, enquanto o ministro japonês para os Jogos Olímpicos, Tamayo Marukawa, considera que se impõe uma "decisão prudente".

Bach anunciou na semana passada uma decisão provável para o fim de abril ou início de maio sobre o público estrangeiro, mas Hashimoto afirmou na quarta-feira que os espectadores, hotéis e agências de viagens devem ser informados antes.

Quase 900.000 ingressos do evento já teriam sido vendidos para pessoas de fora do Japão.

No caso dos ingressos vendidos dentro do país, uma decisão sobre a capacidade de cada local de competição será anunciada em abril.

O estado de emergência relacionado com o coronavírus que continua em vigor na grande Tóquio e que, a princípio, termina no domingo poderia ser prolongado por mais duas semanas.

Os Jogos de Tóquio, adiados no ano passado devido à pandemia, estão confirmados para o período de 23 de julho a 8 agosto, apesar da persistência da crise sanitária no mundo.

amk/kaf/ras/mac/af/yow/fp