Mercado abrirá em 55 mins
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,69 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,11 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,98
    +1,72 (+2,60%)
     
  • OURO

    1.783,00
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    47.479,52
    -1.824,32 (-3,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.212,17
    -229,59 (-15,92%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,72 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.172,21
    +49,89 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    23.349,38
    -417,31 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    27.927,37
    -102,20 (-0,36%)
     
  • NASDAQ

    15.609,50
    -108,25 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3865
    -0,0088 (-0,14%)
     

Orbital Reef: Blue Origin anuncia construção de sua estação espacial comercial

·3 min de leitura

Nesta quinta-feira (25) a Blue Origin anunciou seu mais novo plano de construir a sua própria estação espacial, chamada Orbital Reef, que começará a ser operada até a segunda metade deste década. Segundo a empresa de Jeff Bezos, a futura unidade orbital funcionará como um local para pesquisas, mas também para clientes industriais e comerciais.

Com a aposentadoria da Estação Espacial Internacional (ISS) se aproximando, muitas empresas já estão apresentando projetos de estações orbitais que substituam ou deem continuidade aos mais de 20 anos de presença humana na baixa órbita da Terra. Para o projeto Orbital Reef, a Blue Origin contará com a parceria da Sierra Space, subsidiária da Sierra Nevada Corp., além de nomes como Boeing, Redwire Space, Genesis Engineering Solutions e Arizona State University.

A Orbital Reef terá quase o mesmo tamanho da ISS, mas abrigando até 10 pessoas simultaneamente e com áreas para lazer e condução da ciência, segundo a Blue Origin. A empresa também disse que a unidade orbital será um ambiente empresarial misto, com a estrutura necessária para receber a maior variedade de pessoas e clientes que queiram utilizar as instalações. Nenhuma informação sobre como cada um dos parceiros atuará foi divulgada, nem o quanto será investido por cada um no projeto.

Mas já foi revelado que, além da nave Starliner, da Boeing, a Sierra Space também deverá usar sua nave Dream Chaser para transportar pessoas e cargas até a Orbital Reef. Vale lembrar que a Starliner ainda não passou por nenhum teste de voo tripulado e a Dream Chaser ainda não decolou pela primeira vez. A Blue Origin pretende lançar as peças da unidade orbital com seu poderoso foguete New Glenn, mas não descarta lançar parte delas através de empresas comerciais.

No início deste ano, a NASA anunciou o programa Commercial Low Earth Orbit (LEO) Development com o objetivo de fornecer capital às empresas de voo espacial para impulsionar o desenvolvimento de estações privadas na baixa órbita da Terra. Por enquanto, a ISS tem seu funcionamento garantido até 2024, mas a agência norte-americana tem planos de estender seu tempo de vida até 2028 — a questão é que, cedo ou tarde, ela se aposentará inevitavelmente. Segundo a Blue Origin, a agência pretende ser um “inquilino âncora” da Orbital Reef.

Enquanto isso, a Blue Origin trabalha no sistema New Shepard, com um foguete suborbital projetado para levar pagantes à fronteira do espaço. Por enquanto, a nave já levou oito pessoas para fora da Terra, incluindo o próprio Jeff Bezos na primeira viagem. A empresa também planejava desenvolver o Blue Moon, um módulo lunar para transportar carga útil e pessoas, com o apoio da NASA, mas um conflito com a SpaceX fez a Blue Origin perder o contrato.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos