Mercado fechará em 5 h 28 min
  • BOVESPA

    109.329,02
    +841,14 (+0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.554,74
    +36,44 (+0,07%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,80
    -0,48 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.855,60
    +13,50 (+0,73%)
     
  • BTC-USD

    30.189,36
    +180,75 (+0,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    676,80
    +1,92 (+0,29%)
     
  • S&P500

    3.947,60
    +46,24 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    31.730,10
    +468,20 (+1,50%)
     
  • FTSE

    7.490,74
    +100,76 (+1,36%)
     
  • HANG SENG

    20.470,06
    -247,18 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    11.884,25
    +43,50 (+0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1159
    -0,0369 (-0,72%)
     

Oppo detalha sistema de energia à distância para dispositivos sem bateria

·2 min de leitura

Muitos celulares hoje não ficam devendo muito para um computador em termos de performance, mas uma dificuldade desse mercado é a autonomia da bateria. O carregamento rápido alivia esse problema, mas a indústria já estuda tecnologias que, em um futuro talvez não tão distante, podem ultrapassar esse obstáculo. Por enquanto, sistemas de recarga sem fio à distância são prototipados para funcionarem com pequenos dispositivos IoT, mas empresas como a Oppo já veem um futuro onde podem alcançar mais aparelhos.

A Oppo liberou um manual técnico no qual descreve seu sistema de indução por infravermelho para alimentar gadgets de inteligência doméstica.

Esses dispositivos coletam energia por um sistema de radiofrequência transmitido por torres de telefonia, de televisão, sinal FM, e outros capazes de acessarem, de alguma forma, as conexões do terminal doméstico — como até mesmo Wi-Fi e Bluetooth. Com isso, a empresa acredita que até mesmo alguns itens IoT poderão operar, no futuro, sem bateria, já que costumam ter posição fixa na casa do usuário.

Demonstrações da Oppo sobre como beacons de radiofrequência poderiam ser instalados em ambientes (Imagem: Reprodução/Oppo)
Demonstrações da Oppo sobre como beacons de radiofrequência poderiam ser instalados em ambientes (Imagem: Reprodução/Oppo)

Não é descartada a aplicação para produtos mais populares, como relógios inteligentes ou mesmo smartphones. Aliás, esta seria uma novidade bem-vinda que poderia resolver o principal problema do acessório. Hoje, mesmo os smartwatches mais sofisticados exigem recarga diária, o que está longe de ser o ideal para um item de pulso. Se fosse possível recarregá-lo só por estar em casa, o usuário não teria mais a tarefa quase hercúlea de tirar e colocar todo dia o dispositivo no braço.

Oppo não é a primeira

Haveria também mudanças sustentáveis positivas se o sistema ganhasse escala comercial futura. A retirada de bateria de uma série de produtos do mercado evitaria o descarte das mesmas na natureza futuramente.

Vale lembrar que a Oppo não é a primeira fabricante a testar essa tecnologia. A Motorola já demonstrou publicamente um sistema parecido, assim como a Xiaomi. Este parece ser um caminho no qual os times de desenvolvimento das marcas de telefonia deve apostar nos próximos anos. Mas é muito cedo para projeções envolvendo a produção comercial de ecossistemas que operem dessa forma.

Por enquanto, a Samsung pode despontar lançando um controle que recarrega por ondas Wi-Fi. O acessório é parte dos investimentos da marca em aumentar a sustentabilidade de seus produtos, e sucede o controle das TVs de 2021 que recarregava por energia solar, devendo ser entregue em conjunto com boa parte dos televisores vendidos pela marca este ano.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos