Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.709,66
    +180,69 (+0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,04
    -0,63 (-1,01%)
     
  • OURO

    1.792,10
    +13,70 (+0,77%)
     
  • BTC-USD

    55.842,80
    +734,62 (+1,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.287,54
    +24,58 (+1,95%)
     
  • S&P500

    4.158,46
    +23,52 (+0,57%)
     
  • DOW JONES

    34.038,71
    +217,41 (+0,64%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.849,75
    +55,50 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6999
    -0,0026 (-0,04%)
     

Opositor José Daniel Ferrer detido em Santiago de Cuba

·1 minuto de leitura
O dissidente cubano José Daniel Ferrer em maio de 2016

O opositor cubano José Daniel Ferrer, líder da ilegal União Patriótica de Cuba (Unpacu), foi detido na sexta-feira em sua residência de Santiago de Cuba, região leste da ilha, informou um de seus seguidores.

"José Daniel Ferrer, líder da Unpacu, foi detido arbitrariamente e até o momento está desaparecido", disse por telefone à AFP Zaqueo Baez, vice-coordenador nacional da organização e representante em Havana.

Ferrer, que estava em prisão domiciliar, é um dos 75 presos políticos da chamada primavera negra de 2003.

Em 2011 ele rejeitou a possibilidade de emigrar para a Espanha, após um acordo do então presidente Raúl Castro com os líderes católicos da ilha.

Ele integrou o grupo de 12 pessoas, entre mais de 130 presos, que decidiram ficar na ilha e prosseguir com suas atividades opositoras.

Integrantes da Unpacu relataram que na manhã de sexta-feira uma operação policial cercou o quarteirão onde mora o líder opositor, no bairro de Altamira, impedindo a entrada e saída dos moradores.

Uma ativista disse que os policiais entraram na casa de Ferrer, sede nacional da Unpacu, e levaram o líder do grupo pela porta dos fundos da residência.

Ferrer havia pintado na fachada a frase "Pátria e Vida", título de uma canção de protesto de rappers cubanos que critica o governo.

O opositor e três membros de sua organização permaneceram detidos de março de 2019 a abril de 2020 por supostos delitos comuns de "lesões", "privação de liberdade" e "atentado", mas foram liberados com sentenças de entre quatro e cinco anos, que cumpriam em suas residências.

lp/cb/dga/fp