Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.593,72
    -666,03 (-0,66%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.259,67
    -448,05 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,58
    -1,27 (-3,19%)
     
  • OURO

    1.905,80
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    12.966,50
    -183,53 (-1,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,06
    -5,36 (-2,03%)
     
  • S&P500

    3.383,64
    -81,75 (-2,36%)
     
  • DOW JONES

    27.534,71
    -800,86 (-2,83%)
     
  • FTSE

    5.792,01
    -68,27 (-1,16%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.494,34
    -22,25 (-0,09%)
     
  • NASDAQ

    11.450,75
    -212,75 (-1,82%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6422
    -0,0217 (-0,33%)
     

Oposição faz obstrução para pressionar por votação de MP do auxílio emergencial

Raphael Di Cunto e Marcelo Ribeiro
·1 minuto de leitura

Partidos defendem manutenção do benefício em R$ 600 até dezembro A oposição decidiu fazer obstrução a todas as votações da Câmara dos Deputados até que a medida provisória (MP) de prorrogação do auxílio emergencial até dezembro seja pautada em plenário. Os partidos de oposição defendem que o valor do auxílio não pode ser reduzido de R$ 600 para R$ 300 porque os efeitos da pandemia ainda continuam sobre a população e querem votar a manutenção dos pagamentos em R$ 600 até dezembro. A estratégia do governo é não deixar que a MP seja votada porque, como ela tem efeito imediato a partir da publicação, o novo valor já está valendo. Pautar o tema para votação exigirá um esforço para impedir o aumento e ainda desgaste para os deputados da base governista. Os líderes dos partidos de oposição farão um pronunciamento às 15h para cobrar a votação. Segundo a líder do PCdoB na Câmara, deputada Perpétua Almeida (AC), esses partidos farão obstrução até que a MP seja pautada. Com a obstrução, serão usados requerimentos regimentais e discursos para tentar bloquear a votação de projetos. Marcello Casal JrAgência Brasil/ MArcello Casal Jr/Agência Bras