Operadoras de celulares diminuem quedas de chamada e conexão, diz Anatel

SÃO PAULO - As operadoras de telefonia móvel ficaram acima da meta estipulada pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) em três itens avaliados pela Agência, segundo revela a primeira avaliação trimestral do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal, divulgada nesta quarta-feira (6). 

De acordo com o relatório, considerando a média de todas as operadoras, elas ultrapassaram os resultados esperados para acesso à rede de voz, queda de chamadas e queda de conexão, ficando abaixo da meta em acesso à rede de dados. 

Por operadora
Sobre os resultados por operadora, a Claro ultrapassou a meta em acesso à rede de voz, queda de chamadas e queda de conexão. No item acesso à rede de dados, a operadora ficou bem próxima de atingir os resultados esperados pela Agência reguladora. 

No caso da Oi, foram alcançadas as metas em acesso à rede de voz, queda de chamadas e conexão, enquanto que em acesso à rede de dados a empresa ficou bem próxima de atingir o resultado. A TIM, por sua vez, alcançou o resultado esperado para acesso à rede de voz e ficou próxima de atingir a meta de acesso à rede de dados. A operadora ultrapassou os resultados almejados pela Anatel no que diz respeito às quedas de chamadas e conexão. 

Por fim, a Vivo não alcançou o resultado para acesso à rede de dados, ficando acima da meta em queda de chamadas, queda de conexão e acesso à rede de voz. 

Relatório
Vale lembrar que a avaliação da Anatel diz respeito aos meses de agosto a outubro do ano passado, sendo esta a primeira avaliação dos planos de longo prazo apresentados pelas prestadoras à Agência para a melhoria dos serviços.

No ano passado, entre 23 de julho e 02 de agosto, as prestadoras de telefonia móvel que apresentaram o pior desempenho por Unidade da Federação, segundo avaliação da Agência, foram proibidas de comercializar e habilitar o serviço para novos usuários e se comprometeram a realizar investimentos na melhoria da prestação do Serviço Móvel Pessoal nos próximos dois anos. 

Operadoras
Segundo o Sinditelebrasil (Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal), as prestadoras de telefonia móvel têm se empenhado em melhor atender seus clientes e cumprir os planos apresentados à Agência, sendo que as empresas ampliaram em 14% os investimentos neste propósito. 

O Sindicato destaca ainda que as operadoras estão cumprindo praticamente todas as metas definidas pelo órgão regulador, apresentando, no geral, desempenho melhor do que a meta definida para diversos indicadores. 

“No indicador que mede o acesso à rede de voz, para ligações pelo celular, o levantamento mostra que os clientes estão conseguindo acessar à rede acima da meta de 95% definida pela agência reguladora. No caso de queda de chamadas, o desempenho também é satisfatório, tendo sido registrado um índice de queda de menos de 1%, bem melhor que o limite permitido, que é de 2%.

No caso de queda de conexão da internet pela rede móvel, além de apresentar um índice melhor que a meta estipulada, ainda houve redução entre agosto e outubro. No primeiro mês do trimestre, o índice de queda foi de 3% e em outubro foi de menos de 2%. No índice de acesso à rede de dados, o desempenho está quase na meta e apresentando melhora em outubro, chegando a 96%”, diz o Sindicato.

Procuradas, a Oi informou que o Sinditelebrasil se pronunciaria pelas operadoras. Já a Telefônica Vivo informou que, no caso da rede 3G, cumpre, em 99% dos casos, o indicador de qualidade de acesso à internet móvel determinado pela Anatel, que é de 98%, sendo que dos 81 municípios com mais de 300 mil habitantes analisados pela agência, no período de agosto a outubro de 2012, em apenas um o índice ficou ligeiramente abaixo (97,8%). 

A operadora disse também que o relatório divulgado pela Anatel "considera e superestima" as tentativas de acesso à internet pela rede 2G – rede na qual, diz a operadora, a experiência do cliente não é a mais apropriada. A Vivo informa ainda que quase 100% do tráfego de seus dados, nas cidades consideradas, são na rede 3G, que oferece a melhor experiência ao usuário neste sentido. A empresa diz que apresentou esses argumentos à Anatel e espera que os próximos resultados consigam refletir a real experiência que seus clientes obtêm durante a navegação em suas redes.

Até o fechamento desta matéria, TIM e Claro não haviam se pronunciado sobre o assunto.

Carregando...