Mercado abrirá em 7 h 40 min
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,44 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,45 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,77
    -0,26 (-0,65%)
     
  • OURO

    1.916,40
    -13,10 (-0,68%)
     
  • BTC-USD

    12.768,46
    +1.711,45 (+15,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    255,99
    +11,10 (+4,53%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,98 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.699,11
    -55,31 (-0,22%)
     
  • NIKKEI

    23.439,33
    -127,67 (-0,54%)
     
  • NASDAQ

    11.612,50
    -78,75 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6413
    -0,0087 (-0,13%)
     

Operações de crédito, câmbio e seguro terão alíquotas de IOF zeradas até 31 de dezembro

DANIEL CARVALHO
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) editou decreto, publicado em edição extra do "Diário Oficial da União" na noite desta sexta-feira (2), em que prorroga até 31 de dezembro a alíquota zero do IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) em operações de crédito, câmbio e seguro. A redução, anunciada em abril, valeria inicialmente até julho, mas foi prorrogada até outubro e perderia a validade nesta sexta. A alíquota também fica zerada até o fim do ano para títulos ou valores mobiliários, incidentes sobre operações de crédito contratadas entre 3 de abril de 2020 e 31 de dezembro de 2020. Segundo a Secretaria-Geral da Presidência da República, a medida beneficiará tanto pessoas físicas quanto jurídicas e aquelas optantes pelo Simples Nacional, inclusive no caso de pagamento em atraso e de renegociação de dívidas. Um outro decreto publicado também nesta sexta é a que prorroga o prazo de redução das alíquotas de IPI, PIS/Pasep e Cofins sobre medicamentos e produtos utilizados no combate à Covid-19. A prorrogação da redução do IPI e das contribuições tem como objetivo reduzir o custo tributário dos produtos utilizáveis na prevenção e tratamento da pandemia de coronavírus. Entre os produtos beneficiados, diz o governo, estão máscaras de uso hospitalar, álcool de limpeza, desinfetantes, óculos e viseiras de segurança, escudos faciais e aparelhos de terapia respiratória.