Mercado fechado

Operação no DF mira grupos de extremistas que apoiam o presidente Bolsonaro

Valor, Com G1

Polícia Civil apreendeu fogos de artifício, anotações com planejamento de ações, facão, cofre e materiais destinados a manifestações A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou, na manhã de hoje, uma operação contra três grupos de extremistas que apoiam o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Os integrantes são investigados por milícia privada, ameaças e porte de armas.

Policiais da Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor) apreenderam fogos de artifício, anotações com planejamento de ações e discursos, cartazes, celulares, um facão, um cofre, e outros materiais destinados a manifestações. A chácara ficava na região de Arniqueira, a cerca de 20 quilômetros da Praça dos Três Poderes.

De acordo com a Cecor, duas casas eram usadas como base de apoio dos grupos e havia barracas instaladas no terreno. O imóvel tem câmeras de segurança que cobrem toda a sua extensão.

A chefe de um dos grupos de extrema-direita que estavam concentrados na chácara de Arniqueiras, Sara Giromini, está presa desde o início da semana passada por ordem do ministro Alexandre de Morais, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Na última sexta-feira (19), Alexandre de Moraes prorrogou por mais cinco dias a prisão da extremista, que permanece na Penitenciária Feminina de Brasília, conhecida como Colmeia.

Além de Sara, outras cinco pessoas tiveram a prisão provisória prorrogada com base na investigação sobre atos antidemocráticos praticados em Brasília.