Mercado fechado

Opep reduz previsão de demanda de petróleo por coronavírus

(Arquivo) Sem carros, sem necessidade de gasolina. O surto de COVID-19 retardará o crescimento da demanda de petróleo este ano, diz a OPEP

A Opep reduziu em 19% a previsão de crescimento da demanda global de petróleo este ano devido à nova epidemia de coronavírus e seu impacto na China.

"O impacto da epidemia de coronavírus na economia chinesa aumenta a incerteza em torno do crescimento econômico global em 2020 e tudo isso afeta o crescimento global da demanda de petróleo em 2020", afirma a Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep) em seu relatório mensal divulgado nesta quarta-feira.

A organização agora espera um crescimento da demanda de 0,99 milhão de barris por dia (mbd) este ano, um valor menor em 0,23 mbd do que a previsão do mês passado.

Na China, "os combustíveis para transporte, principalmente a aviação, devem ser afetados no primeiro semestre de 2020", diz a Opep.

O impacto será exacerbado pela coincidência da epidemia com o período do Ano Novo Lunar, no qual milhões de pessoas costumam viajar para se reunir com a família ou para ir para o exterior.

A Opep e seus parceiros, incluindo a Rússia, estão implementando uma política de redução voluntária de sua produção para apoiar o aumento dos preços e poderiam agora somar novos cortes contra o coronavírus, embora Moscou ainda não tenha concordado.

Em janeiro, os países da Opep reduziram sua produção em 509.000 barris por dia, um declínio importante que é explicado principalmente pela queda na produção na Líbia (344.000 barris por dia), segundo fontes indiretas, citadas pelo relatório.