Mercado fechará em 37 mins
  • BOVESPA

    107.344,85
    +1.097,70 (+1,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.343,72
    +949,69 (+1,88%)
     
  • PETROLEO CRU

    112,25
    +2,66 (+2,43%)
     
  • OURO

    1.839,30
    +23,40 (+1,29%)
     
  • BTC-USD

    30.055,57
    +785,39 (+2,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    668,59
    +16,36 (+2,51%)
     
  • S&P500

    3.912,28
    -11,40 (-0,29%)
     
  • DOW JONES

    31.327,41
    -162,66 (-0,52%)
     
  • FTSE

    7.302,74
    -135,35 (-1,82%)
     
  • HANG SENG

    20.120,68
    -523,62 (-2,54%)
     
  • NIKKEI

    26.402,84
    -508,36 (-1,89%)
     
  • NASDAQ

    11.981,00
    +45,50 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1997
    -0,0186 (-0,36%)
     

Opep+ produz 1,45 mi bpd abaixo da meta em março com sanções à produção russa

·1 min de leitura
Marca da Opep

LONDRES (Reuters) - A Opep+ produziu 1,45 milhão de barris por dia (bpd) abaixo de suas metas em março, quando a produção russa começou a cair após as sanções impostas pelo Ocidente, segundo um relatório do grupo de produtores visto pela Reuters.

O relatório mostrou que a produção da Rússia em março ficou cerca de 300.000 bpd abaixo de sua meta, a 10,018 milhões de bpd, com base em fontes secundárias.

O cumprimento dos cortes de produção subiu para 157% em março, ante 132% em fevereiro, mostraram os dados, o maior desde que o grupo introduziu cortes recordes de produção de cerca de 10 milhões de bpd em maio de 2020 para combater o impacto da pandemia na demanda.

A Opep+, que agrupa os produtores da Opep e aliados liderados pela Rússia, concordou no mês passado com outro modesto aumento mensal da produção de petróleo de 432.000 bpd para maio, resistindo à pressão dos principais consumidores para aumentar a produção.

Conforme o grupo relaxa os cortes de produção, vários produtores têm tido dificuldades para acompanhar, principalmente países da África Ocidental que lutam com o subinvestimento e o êxodo de empresas internacionais de energia.

Em sua reunião no mês passado, a Opep+ também deixou de usar a Agência Internacional de Energia como uma de suas fontes secundárias, substituindo-a pelas consultorias Wood Mackenzie e Rystad Energy.

Os dados de produção mais recentes refletiram essa mudança.

(Por Ahmad Ghaddar)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos