Mercado fechará em 3 h 50 min
  • BOVESPA

    113.791,28
    -1.271,26 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,15
    -0,46 (-0,63%)
     
  • OURO

    1.755,60
    -39,20 (-2,18%)
     
  • BTC-USD

    48.133,05
    -108,99 (-0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.236,62
    +3,33 (+0,27%)
     
  • S&P500

    4.456,81
    -23,89 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.641,76
    -172,63 (-0,50%)
     
  • FTSE

    7.027,48
    +10,99 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.667,85
    -365,36 (-1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.323,34
    -188,37 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    15.414,50
    -89,50 (-0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1801
    -0,0159 (-0,26%)
     

Opep+ mantém aumentos graduais na produção de petróleo

·2 minuto de leitura
Logo da Opep durante reunião do grupo em Argel, na Argélia

Por Ahmad Ghaddar e Rania El Gamal e Alex Lawler

LONDRES/DUBAI (Reuters) - A Opep e seus aliados concordaram nesta quarta-feira em manter uma política já existente de aumentos graduais na produção de petróleo, apesar de terem revisado para cima as perspectivas de demanda para 2022 e de enfrentarem a pressão dos Estados Unidos para que o bombeamento da commodity seja ampliado de forma mais rápida.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados liderados pela Rússia, que formam o grupo conhecido como Opep+, fecharam um acordo em julho para reduzir os cortes de produção que mantinham, acrescentando ao mercado 400 mil barris por dia (bpd) por mês.

A decisão desta quarta-feira significa que a Opep irá liberar 400 mil bpd ao mercado em outubro novamente, depois de já ter feito isso em setembro. A próxima reunião da Opep+ está marcada para 4 de outubro.

"Embora os efeitos da pandemia de Covid-19 continuem a lançar alguma incerteza, os fundamentos do mercado se fortaleceram e as ações da OCDE continuam caindo à medida que a recuperação se acelera", disse a Opep+ em um comunicado.

Na terça-feira, especialistas da Opep+ revisaram a previsão de crescimento da demanda por petróleo em 2022 para 4,2 milhões de bpd, acima da estimativa anterior de 3,8 milhões de bpd, possivelmente construindo o argumento para um aumento de produção no futuro.

Com base nos dados de 2021, o cenário para 2022 parece otimista. A Opep+ espera que a demanda cresça em 5,95 milhões de bpd neste ano, após ter enfrentado uma queda recorde de cerca de 9 milhões de bpd em 2020 por causa da pandemia de Covid-19. No primeiro semestre de 2021, porém, o crescimento da demanda foi de apenas 3 milhões de bpd.

"A demanda decepcionou em relação às expectativas elevadas e ainda há ventos contrários, especialmente na Ásia. Esperamos que a demanda volte aos níveis de 2019 no segundo semestre de 2022", disse Amrita Sen, co-fundadora da consultoria Energy Aspects.

Os EUA, enquanto isso, têm pedido para que a Opep+ aumente a produção de forma mais rápida, em momento em que o petróleo Brent --referência internacional da commodity-- é negociado acima da marca de 70 dólares por barril, próximo a máximas de vários anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos