Mercado fechará em 11 mins
  • BOVESPA

    107.609,74
    -1.458,80 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.022,66
    +296,70 (+0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,92
    -0,09 (-0,12%)
     
  • OURO

    1.803,50
    +5,50 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    17.182,55
    +366,22 (+2,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    403,93
    +9,24 (+2,34%)
     
  • S&P500

    3.971,36
    +37,44 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    33.846,10
    +248,18 (+0,74%)
     
  • FTSE

    7.472,17
    -17,02 (-0,23%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.662,50
    +153,00 (+1,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4985
    +0,0321 (+0,59%)
     

Opep+ considerará corte de produção de petróleo de mais de 1 mi bpd, dizem fontes

Imagem do logo da Opep em Argel

DUBAI (Reuters) - A Opep+ considerará um corte na produção de petróleo de mais de um milhão de barris por dia (bpd) quando se reunir em 5 de outubro, disseram fontes da Opep à Reuters neste domingo, no que seria o maior movimento desde a pandemia da Covid-19 para lidar com a fraqueza do mercado de petróleo.

A reunião acontecerá em 5 de outubro, tendo como pano de fundo a queda dos preços do petróleo e meses de grave volatilidade do mercado que levaram a Arábia Saudita, principal produtor da Opep+, a dizer que o grupo poderia cortar a produção.

A Opep+, que agrega países da Opep e aliados como a Rússia, tem se recusado a aumentar a produção para reduzir os preços do petróleo, apesar da pressão dos principais consumidores, incluindo os Estados Unidos, para ajudar a economia global.

No entanto, os preços caíram acentuadamente no último mês devido a temores sobre a economia global e um rali do dólar americano depois que o Federal Reserve aumentou as taxas de juros.

Um corte significativo na produção deve irritar os Estados Unidos, que pressionam a Arábia Saudita a continuar bombeando mais para ajudar na queda dos preços do petróleo e na diminuição das receitas da Rússia, enquanto o Ocidente busca punir Moscou pelo envio de tropas à Ucrânia.

Na semana passada, uma fonte familiarizada com o pensamento russo disse que Moscou gostaria de ver a Opep+ cortando 1 milhão de bpd ou 1% da oferta global.

Esse seria o maior corte desde 2020, quando a Opep+ reduziu a produção em um recorde de 10 milhões de bpd devido à queda da demanda em razão da pandemia de Covid. O grupo passou os dois anos seguintes desfazendo esses cortes.

Neste domingo, as fontes disseram que o corte pode ultrapassar 1 milhão de bpd. Uma das fontes sugeriu que os cortes também poderiam incluir uma redução voluntária adicional da produção pela Arábia Saudita.

A Opep+ se reunirá pessoalmente em Viena pela primeira vez desde março de 2020.

(Por Maha El Dahan e Olesya Astakhova)