Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.979,96
    +42,09 (+0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.789,31
    +417,33 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,76
    -0,73 (-1,11%)
     
  • OURO

    1.866,90
    -1,10 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    40.777,21
    -3.921,58 (-8,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.138,10
    -115,04 (-9,18%)
     
  • S&P500

    4.127,83
    -35,46 (-0,85%)
     
  • DOW JONES

    34.060,66
    -267,13 (-0,78%)
     
  • FTSE

    7.034,24
    +1,39 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    28.593,81
    +399,72 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    28.032,23
    -374,61 (-1,32%)
     
  • NASDAQ

    13.171,25
    -40,75 (-0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4295
    -0,0006 (-0,01%)
     

Opas alerta sobre vacinas anticovid falsas no Brasil, Argentina e México

·1 minuto de leitura
Dose da vacina Johnson & Johnson contra o coronavírus

O vice-diretor da Organização Pan-americana da Saúde (Opas), Jarbas Barbosa, alertou nesta quarta-feira (21) sobre a oferta de vacinas anticovid falsas na Argentina, Brasil e México, denunciando um "problema" para as autoridades de saúde e policiais.

Consultado sobre um relatório do jornal The Wall Street Journal sobre a venda de vacinas fraudulentas do laboratório Pfizer no México, Barbosa disse: "Sim, recebemos informações do México, Argentina e Brasil de que algumas doses foram oferecidas nas redes sociais".

"Os mercados ilegais oferecem vacinas que provavelmente estão falsificadas, não são a vacina real, ou talvez estejam roubando-as de um centro de saúde e ninguém pode garantir que estejam armazenadas corretamente", disse Barbosa em coletiva de imprensa.

"Então, claramente é um problema, não só para as autoridades de saúde, mas também para a polícia identificar esta atividade criminosa", afirmou.

Barbosa insistiu que só se pode confiar nas vacinas administradas pelas autoridades de saúde porque só essas têm a garantia de serem "seguras e eficazes" e de terem sido conservadas nas condições adequadas.

"Portanto, é muito importante rejeitar comprar qualquer tipo de vacina que se ofereça nas redes sociais e na internet", pediu.

"Isso é um risco para sua saúde", enfatizou.

O The Wall Street Journal relatou nesta quarta-feira que a Pfizer investiga com autoridades mexicanas a administração de vacinas falsas anticovid no México.

O jornal afirmou que os Estados Unidos, México e outros países detectaram "dezenas de sites" que afirmam vender de forma fraudulenta doses da Pfizer e também do laboratório americano Moderna.

ad/lda/aa