Mercado fechado
  • BOVESPA

    118.811,74
    +1.141,84 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.352,18
    -275,49 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,63
    +0,31 (+0,52%)
     
  • OURO

    1.732,60
    -12,20 (-0,70%)
     
  • BTC-USD

    59.977,68
    +131,10 (+0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.285,28
    -9,31 (-0,72%)
     
  • S&P500

    4.127,99
    -0,81 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    33.745,40
    -55,20 (-0,16%)
     
  • FTSE

    6.889,12
    -26,63 (-0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.453,28
    -245,52 (-0,86%)
     
  • NIKKEI

    29.538,73
    -229,33 (-0,77%)
     
  • NASDAQ

    13.824,75
    -4,75 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8298
    +0,0656 (+0,97%)
     

ONU adverte que Iêmen pode se tornar um 'Estado inviável'

·1 minuto de leitura
(Arquivo) Tropas do governo enfrentam rebeldes no Iêmen

A guerra no Iêmen pode tornar o país um "Estado inviável e de reconstrução muito difícil", advertiu em entrevista à AFP o diretor local do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Auke Lootsma.

Dezenas de milhares de pessoas já morreram por causa do conflito, que teve início em 2014 e deu origem a uma das piores crises humanitárias do planeta, segundo a ONU. "A guerra tem que acabar agora. Os iemenitas já sofreram o suficiente", declarou Lootsma.

O país mais pobre da Península Arábica enfrenta "a pior crise de desenvolvimento no mundo" e o diretor destacou que o sistema de saúde local foi devastado e muitas crianças não têm acesso à educação. "Se continuarmos assim, o Iêmen será um país de reconstrução muito difícil. Se outros bens forem destruídos e as pessoas se tornarem cada vez mais pobres, ele se tornará um Estado inviável."

Lootsma pediu aos possíveis doadores que aportem uma ajuda financeira considerável durante a conferência que ONU, Suíça e Suécia irão organizar nesta segunda-feira.

Forças pró-governo apoiadas por uma coalizão regional liderada pela Arábia Saudita enfrentam no Iêmen os rebeldes huthis, que contam com o apoio do Irã.

mah/sls/aem/awa/eb/mb/lb